O professor que se locomove com as pernas, mas anda mesmo é com a cabeça

Marconi durante assinatura de convênio do Goiás na Frente | Foto: Jota Eurípedes

Ângela Moureira

O professor Perillo se locomove com as pernas, mas anda mesmo é com a cabeça e aí está a primeira justificativa para ele estar sempre olhando as oposições pelo retrovisor – ele lá na frente, seus opositores lá atrás.

A cabeça do professor Perillo é cheia de habilidades políticas inabaláveis, onde nascem estratégias que sustentam uma vitória atrás da outra.

O professor Perillo sabe que o cenário político é um tabuleiro de xadrez: a pedra certa tem de ser mexida no tempo ideal para encurralar o adversário. Antes da mexida é preciso pensar a movimentação de cada pedra sobre o tabuleiro para evitar passos em vão e se manter à frente das ações contrárias.

É por isso que Goiás se mantém à frente das outras unidades da Federação. Veja o quadro atual: enquanto grandes estados padecem da quebradeira econômica (vide RJ, RS) e esperam em ações externas vindas do Governo Federal, o professor Perillo exibe números promissores em Goiás e abre os passos largos para melhorar ainda mais esses números, com o Programa Goiás na Frente – mais uma vez lá atrás ficam as oposições.

Marconi expõe habilidades que assombram seus opositores, da melhor e já conhecida maneira: “Bata em mim que te chamo para uma conversa reservada”. No gabinete do governador, ele se transforma no professor: “Vamos investir juntos e todos ganham, principalmente o povo”. Pronto quem batia vira aliado de gestão (e alguns já viraram aliados políticos após a conversa palaciana).

A receita é simples e antiga, mas eficaz.

O Goiás na Frente é a aplicação desta receita e a oposição também repete a contra ofensiva derrotada de sempre, taxando o programa de eleitoreiro. A oposição não tem competência para virar o disco nas críticas e sua cantiga repetida que nunca fez sucesso não fará novamente. A melhor forma de antever o fracasso das críticas oposicionistas ao Programa Goiás na frente é observar o cacique iris Rezende, que bateu e bateu em Marconi nos programas eleitorais, recebendo o professor Perillo para se render ao Goiás na Frente.

A cantiga antiga das oposições enchem os ouvidos do povo de refrões: “Programa eleitoreiro, gasto excessivo com casamento da filha, blá-blá-blá” e Marconi segue olhando esse pessoal pelo retrovisor — lá na frente.

A cabeça que sustenta os movimentos do professor Perillo pensa política 24 horas por dia. Antes que sua base criasse fantasias com possibilidades de nomes para sua sucessão, ele lançou José Eliton como pré candidato. Após o lançamento do nome, veio o Programa Goiás na Frente e enquanto a oposição decide um nome e perde tempo batendo ineficazmente, o professor Perillo da aula assinando convênios com aliados e gente dos partidos dos opositores, promovendo bem seu pré-candidato, alicerçando o terreno para as paredes da campanha. E alicerces bem feitos sustentam paredes inquebráveis.

Que ninguém duvide, tudo aponta para mais uma lição vitoriosa do professor Perillo no pleito do ano que vem!

Ângela Moureira é jornalista.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.