O interior sabe torcer

Luciana Vitorino
Especial para o Jornal Opção Online

O Goianão 2015 aproxima-se do final. Alguma razão para o Goiás não conquistar o seu 25º caneco? Poucas. Pouquíssimas.

No entanto, razões para o torcedor e para a diretoria mudarem de postura sobram. No Goiás, infelizmente, prevalecem decisões de gestores com pouca noção da realidade financeira do país. Afirmo isso, em função de cobrarem R$ 40, 00 E R$ 80, 00 – por cada ingresso – em uma semifinal contra o Goianésia. Não dá!

Não consigo enxergar razões sobre falta de vontade que a cúpula esmeraldina tem em ver um Serra Dourada cheio. Que gol contra! Futebol é povo!

Onde fica a paixão dos esmeraldinos? Uma média pífia de público – 875 pagantes até a última rodada. Só ficam à frente da Aparecidense e do Grêmio Anápolis (um com 29 de anos de fundação e o outro com 16).

Além disso, frases como “Ah! O campeonato é frio demais!”, “Este jogo é praticamente amistoso!” ou “ A tevê está transmitindo!” são as justificativas que mais ouvimos. Sendo assim, como a falta de público é motivada pelo preço do ingresso, ratifico: fico com o torcedor, que não comparece ao estádio.

É ainda bom lembrar que o único campeonato no qual o Goiás possui reais chances de vencer é o Goiano, ou seja, por que não se apoiar mais o clube?

Cabem aqui exemplos de torcedores que apoiam os clubes: itumbiarenses, anapolinos e goianesienses (palavrazinha complicada!). Os respectivos times lideram as seguintes médias de públicos: 7.979, 5.470 e 4.480.

Por fim, nem os três citados times juntos chegam próximo ao investimento do Goiás Esporte Clube. Sabe qual a minha resposta para tudo isso? Diretoria e torcida juntos; isso ainda falta para o Goiás.

Luciana Vitorino é jornalista e apresentadora nacional do Brasil Esportes – TV Aparecida.

Deixe um comentário