“Nunca demos ou prometemos qualquer vantagem à JBS”, garante Jayme Rincón

Presidente da Agetop lembra que seu nome e do governador Marconi Perillo foram citados na delação como pessoas que não atenderam aos interesses do grupo

 

Presidente da Agetop, Jayme Rincón, durante entrevista ao Jornal Opção | Foto: Fernando Leite

O presidente da Agência Goiana de Transporte e Obras Públicas (Agetop), Jayme Rincón (PSDB), afirmou, por meio de nota à imprensa, que o governo Marconi Perillo (PSDB) jamais deu ou prometeu qualquer vantagem ou contrapartida à JBS.

Citado na delação premiada de Ricardo Saud, diretor de Relações Instituicionais da empresa, ele ressalta que não foi acusado de ter recebido propina e sequer faz parte das investigações.

“É bom frisar que todas as acusações nas delações da JBS foram feitas de forma direta e com indicações dos valores recebidos e as vantagens ou contra partidas concedidas ao grupo. Nosso nome foi citado como indicação de pessoas que não atenderam nenhum interesse do grupo”, asseverou.

Por fim, Rincón argumenta que em 2014 a JBS não fez doações à campanha de Marconi Perillo à reeleição e a delação “deixa claro a razão porque não colaboraram”.

Veja na íntegra:

O presidente da Agetop não faz parte das delações. Em momento algum o Sr Ricardo Saud o acusa de ter recebido propina. Pelo contrário , reclama que os interesses da JBS nunca foram atendidos em Goiás.

É bom frisar que todas as acusações nas delações da JBS foram feitas de forma direta e com indicações dos valores recebidos e as vantagens ou contra partidas concedidas ao grupo. Nosso nome foi citado como indicação de pessoas que não atenderam nenhum interesse do grupo.

Em 2010 quando fui coordenador da campanha de Marconi Perillo nao conhecia o Sr Joesley nem o Sr Ricardo. Todas as tratativas de ajuda financeira a campanha em 2010 foram feitas pelo governador e por mim diretamente com o Sr Junior, a época o diretor da empresa que tratava dos assuntos relacionados a Goias. Todas as doações foram legais e declaradas a justiça eleitoral.

Em 2014 , período a que o Sr Ricardo se refere no áudio, não participei da campanha e a JBS não fez não fez nenhuma doação. No próprio vídeo em que fazem menção ao meu nome e do governador fica claro a razão porque não colaboraram com nossa campanha em 2014. Nunca demos ou prometemos qualquer vantagem ou contrapartida ao grupo.

Assessoria de imprensa da Agetop

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.