Na Alego, secretária diz que políticas públicas são inviabilizadas por falta de dinheiro

Cristiane Schmidt esteve na tarde desta quarta-feira, 27, na Assembleia e era a todo momento interrompida por protestos pedindo o pagamento de dezembro

Foto: Felipe Cardoso/Jornal Opção

Em visita à Assembleia Legislativa de Goiás na tarde desta quarta-feira, 27, a secretária da Economia, Cristiane Schmidt, apresentou a situação financeira do Estado e disse que a situação é grave.

“Infelizmente nem todas as políticas públicas que gostaríamos de fazer serão possíveis, porque não tem dinheiro. Isso é grave”, afirmou. Cristiane falava enquanto era, a todo momento, interrompida por manifestantes na galeria, que gritavam: “Paga dezembro!”.

O deputado Karlos Cabral (PDT) chegou a pedir para o pessoal não atrapalhar a fala dela. “Ou serei obrigado a acatar o pedido de alguns deputados para esvaziar a galeria”, disse.

Cristiane então retomou a fala e rebateu: “Queremos um diálogo saudável onde possamos respeitar as diferenças. Entendo cada ideologia, quero respeitar todas elas e quero fazer o trabalho que sei fazer para que possamos ter um Goiás melhor”.

Segundo ela, todo dinheiro que entra em Goiás está sendo usado para pagar folha e as dívidas. No entanto, o Estado permanece devendo dezembro para a maior parte dos servidores, e não conseguirá quitar fevereiro dentro mês, como prometido, a todas as categorias.

Segundo ela, 97% dos gastos são com ativos, inativos e precatórios. “Nós crescemos em termos de custo muito mais do que a gente arrecada”, sublinhou.

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.