“Não sabemos a prioridade da prefeitura”, diz vereadora sobre empréstimos de R$ 145 mi

Projetos de lei do prefeito querem abrir operação de crédito para comprar novas máquinas na Comurg e investir na fiscalização tributária

Vereadora Sabrina Garcêz (PTB), presidente da CCJ | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Tramitam na Câmara Municipal de Goiânia três projetos de lei de autoria do prefeito Iris Rezende (MDB) de autorização para tomada de empréstimos que, juntos, somam R$ 145 milhões.

O primeiro deles, já aprovado em primeira votação em plenário na última quinta-feira (14/6), pede abertura de crédito junto ao Banco do Brasil no valor de R$ 50 milhões para compra de maquinário para a Comurg. A matéria gerou polêmica na Casa e foi motivo de mais uma indisposição entre o Executivo e os vereadores.

“O processo encaminhado pelo Paço não tem instrução de viabilidade financeira, qual a porcentagem da contrapartida do município, ou nem mesmo plano de custos . Será que a compra de maquinário pesado é realmente mais vantajoso que o aluguel, levando em conta os custos de manutenção? Legalmente, a prefeitura não é obrigada a apresentar nada disso, mas é aconselhável e moral que assim seja feito. Por isso o mal estar”, explicou a presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), vereadora Sabrina Garcêz (PTB).

Na comissão tramitam outros dois projetos de lei do prefeito de autorização para abertura de créditos e podem entrar na pauta de votação nas próximas semanas.

Um deles dispõe sobre a contratação de operação de crédito de até R$ 35 milhões junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). O dinheiro seria destinado à modernização de equipamentos e capacitação técnica de funcionários para melhorar a gestão fiscal do município. O outro é um pedido para tomada de empréstimo, desta vez no valor de R$ 60 milhões junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), também para modernização da administração tributária.

“O problema é a falta de ação da administração municipal. Não sabemos qual a prioridade da prefeitura. O que nos preocupa é a situação dos servidores municipais, o caos nos serviços de Saúde e Educação e a prefeitura preocupada em pegar esses empréstimos. A falta de prioridade é visível em todas as áreas”, criticou.

O projeto para aquisição de verba para a Comurg está em tramitação na Comissão de Finanças e a expectativa é de que volte para segunda votação em plenário já na semana que vem.

Deixe um comentário