Morre Carlos Alberto Torres, capitão do tricampeonato de 1970

Ex-lateral passou por Fluminense, Botafogo, Flamengo e Santos e faleceu aos 72 anos, vítima de um enfarto 

| Foto: Gaspar Nobrega/ Divulgação

Craque da seleção inaugurou o famoso ato de beijar a taça na final da Copa do Mundo | Foto: Gaspar Nobrega/ Divulgação

O ex-lateral Carlos Alberto Torres morreu, nesta terça-feira (25/10), no Rio de Janeiro, aos 72 anos, vítima de um enfarto. Capitão do tricampeonato mundial de Seleção Brasileira, ele já jogou no Fluminense, onde foi revelado, no Botafogo, Flamengo, Santos, California Surf e New York Cosmos. Atualmente, ele trabalhava como comentarista no SporTV, que anunciou a notícia.

Na copa de 1970, Carlos Alberto ficou famoso por inaugurar um gesto famoso entre os que se sagram campeões: Ao levantar o caneco na final, ele beijou a Taça Jules Rimet. Além de jogador, ele atuou como treinador e conquistou o Campeonato Brasileiro de 1983 com o Flamengo, a Copa Conmebol de 1993 com o Botafogo e o Campeonato Carioca de 1983 pelo Fluminense.

Já em campo, os títulos são ainda mais numerosos: Foram três cariocas com o Fluminense (1964, 1975 e 1976); e, com o Santos, ao lado de Pelé, Edu e Clodoaldo, foram duas Taças Brasil (1965 e 1968), um Torneio Rio-São Paulo (1966), uma Recopa Sul-Americana (1968) e cinco campeonatos paulistas (1965, 1967, 1968, 1969 e 1973).

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.