Morre aos 86 anos o poeta Ferreira Gullar

Imortal da Academia Brasileira de Letras estava internado em um hospital no Rio de Janeiro. Causa da morte ainda não foi confirmada

Morreu neste domingo (4/12), aos 86 anos, o poeta, ensaista, crítico de arte, dramaturgo, biógrafo, tradutor e memorialista Ferreira Gullar. Ele estava internado no Hospital Copa D’Or, na Zona Sul do Rio de Janeiro. A causa da morte ainda não foi confirmada.

Um dos fundadores do neocincretismo, Gullar participou de todos os principais acontecimentos da poesia brasileiro. Imortal da Academia Brasileira de Letras desde 2014, foi agraciado com o Prêmio Camões, o mais importante da literatura da Comunidade de Países de Língua Portuguesa, em 2010. Vencedor do Prêmio Jabuti nos anos de 2007, com seu livro “Resmungos”, de 2007, e “Em alguma parte”, de 2011, e indicado ao Prêmio Nobel de Lirteratura em 2002.

Gullar nasceu em setembro de 1930 em São Luis, no Maranhão. No início da década de 1950 mudeou-se parao Rio de Janeiro. Militante do Partido Comunista durante a ditadura militar, exilou-se na década de 1970, tendo morado na União Soviética, Argentina e Chile

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.