Moradores confrontam secretário e apontam controvérsia em decreto de desapropriação

Residentes da região do Jardim Botânico questionam resolução baixada pelo Paço que desapropria imóveis particulares localizados no perímetro do córrego Botafogo

Arquivo

Moradores da região do Jardim Botânico, na capital, confrontaram o secretário de Planejamento Urbano e Habitação de Goiânia (Seplanh), Agenor Mariano (PMDB), durante evento da prefeitura no final da tarde da última sexta-feira (6/10).

Eles questionam um decreto baixado pelo Paço no dia 6 de setembro que desapropria imóveis particulares localizados no perímetro do córrego Botafogo. Os moradores afirmam que a prefeitura agiu de forma monocrática, sem consultar população, e levantam suspeitas sobre a resolução.

Segundo eles, além de “desumano”, o decreto é impreciso e não aponta quais e quantos serão os imóveis desapropriados. A prefeitura fala em um número pequeno, mas os moradores garantem que mais de 300 famílias serão afetadas.

Em entrevista ao Jornal Opção, um representante dos moradores disse que o secretário garantiu que irá se reunir com o grupo na semana que vem. Durante o evento desta sexta, eles tentataram também falar com o prefeito Iris Rezende (PMDB), mas sem sucesso.

Em entrevista coletiva recente, o peemedebista defendeu a desapropriação dos imóveis, tratando os moradores como invasores. “Estamos apenas determinando a área para a realização dos serviços que terão que ser feitos na região. Não é tanta coisa, e você não tenha dúvida de que essas áreas não constam nos loteamentos oficiais do município, ou seja, na nossa linguagem vulgar: são invasões”, sentenciou o peemedebista.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.