Ministra Cármen Lúcia deve visitar presídio em Aparecida de Goiânia

Convite teria sido feito pelo governador Marconi Perillo (PSDB) em conversa por telefone com a presidente do STF

A presidente do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça, ministra Cármem Lúcia, deve visitar a unidade prisional de Aparecida de Goiânia na próxima semana. A informação é do portal Poder 360.

O convite teria sido feito pelo governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB) em ligação telefônica com a ministra na última quarta-feira (3/1). O governo de Goiás e o STF não confirmaram a possibilidade da visita.

Segundo assessoria do governador, durante conversa com Cármem Lúcia, Marconi pediu à presidente do STF que agende uma reunião entre governadores e o ministro da Justiça, Torquato Jardim. O objetivo da conversa seria discutir as atribuições dos governos federal e estaduais e buscar soluções para as más condições do sistema carcerário em todo o país.

O Governo de Goiás cobra maior ação do governo federal para o enfrentamento dos problemas no sistema carcerário. Em vídeo divulgado nas redes sociais, Marconi afirmou que a superlotação de presídios é um problema real e nacional e que os Estados têm buscado soluções para resolver a questão.

“O governo de Goiás não foge de suas responsabilidades e enfrenta todos os problemas com coragem e determinação. Mas essa guerra não se ganha sozinho. O governo federal precisa olhar com urgência para essa questão”, declara.

Segundo a assessoria do governo estadual, a ministra sinalizou que marcaria a reunião em breve. Já a assessoria do STF informou não ter detalhes nem sobre o teor da conversa, nem sobre a intenção da ministra. O ministro Torquato Jardim ainda não se pronunciou sobre o pedido de Perillo.

Na última quarta-feira (3), uma comitiva liderada pelo presidente do Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), Gilberto Marques Filho, vistoriou a unidade prisional que na última segunda-feira (1º) foi palco de uma rebelião que deixou nove detentos mortos e 14 feridos.

Nesta quinta-feira (4) se expira o prazo determinado pelo STF para que o TJ-GO apresente ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) um relatório sobre as condições do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia.

Deixe um comentário