Ministério Público oferece primeira denúncia contra suposto serial killer

Inquérito é referente à acusação do assassinato de Rosirene Gualberto da Silva, de 29 anos, apontada nas investigações como a 13ª vítima de Tiago Henrique

O Ministério Público de Goiás (MPGO) apresentou nesta quarta-feira (26/11) a primeira denúncia criminal contra o vigilante Tiago Henrique Gomes da Rocha, de 26 anos, apontado como o suposto serial killer que agia nas ruas de Goiânia. O inquérito finalizado trata da acusação do assassinato de Rosirene Gualberto da Silva, de 29 anos, apontada nas investigações como a 13ª vítima do vigilante.

Rosirene foi assassinada no dia 19 de julho no Setor dos Funcionários. Ela estava acompanhada de sua irmã em um veículo, quando as duas foram abordadas por Tiago, que se aproximou em uma motocicleta e deu voz de assalto. De acordo com a polícia, o suposto assassino em série exigiu que as vítimas entregassem as chaves do carro. Enquanto elas procuravam, o vigilante efetuou vários disparos contra as duas e fugiu logo em seguida. A irmã de Rosirene sobreviveu ao episódio e auxiliou a polícia a traçar o primeiro retrato falado do suspeito.

Em entrevista, o promotor de Justiça João Teles de Moura Neto, da 83ª Promotoria de Justiça de Goiânia, adiantou que outros três inquéritos policiais serão concluídos e remetidos ao poder Judiciário até a próxima semana. “Existe atrás dessa denúncia que estamos oferecendo hoje toda uma investigação policial. Acerca desse caso específico temos vários tipos de provas, e são suficientes para embasar a acusação”, explicou.

João Teles contou à imprensa que o órgão ministerial encontrou dificuldades em determinar a motivação do assassinato. “Quando ele é interrogado, ele diz que não tinha motivos nenhum para matar”, explicou. A conclusão foi a de que o homicídio teria sido motivado por “torpeza”, ou seja, ele “tinha prazer mórbido em ver as mulheres mortas”.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.