Médicos da Saúde municipal iniciam greve

Prefeito se reuniu com sindicato na sexta-feira (17), mas não houve acordo

medicos Começou neste domingo (19/4) a greve dos médicos vinculados à Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia, depois da categoria ter deflagrado paralisação na última quarta-feira (15). Os atendimentos de urgência e emergência serão mantidos na integralidade.

Na sexta-feira (17), o presidente do Sindicato dos Médicos no Estado de Goiás (Simego), Rafael Cardoso Martinez, se reuniu com o prefeito Paulo Garcia (PT). Após encontro, foi realizada uma Assembleia Geral Extraordinária Permanente (AGEP), quando decidiu-se pela continuidade do movimento.

Conforme sindicato, o prefeito apresentou as dificuldades enfrentadas pela prefeitura e se colocou à disposição para negociar, mas não houve nenhum resultado positivo após encontro. Durante encontro, o petista explicou que a  data-base de 2014 será paga no vencimento de abril e a reposição de 2015 será escalonada entre os meses de maio, setembro  e janeiro de 2016.

Já quanto à manutenção do quinquênio em 10%, uma das principais reivindicações dos médicos municipais, Paulo Garcia assegurou que já estava garantida. Isso porque direito está previsto em novo projeto da Reforma Administrativa enviado pelo prefeito à Câmara na quinta-feira (16). Na proposta, original a porcentagem seria reduzida para 5%.

Além dessas reivindicações, os médicos ainda pedem por segurança nas unidades de saúde, melhores condições de trabalho, reposição de perdas da  insalubridade e o cumprimento do Plano de Cargos Carreira e Vencimentos (PCCV).

2 respostas para “Médicos da Saúde municipal iniciam greve”

  1. Avatar Raquel disse:

    Nada contra a greve dos funcionários da prefeitura, mas cumprir horário nenhum funcionário quer. É uma vergonha o tanto q os mesmos não ficam mais do q 2 horas no trabalho, sem contar o alto índice de faltas q ocorrem nos postos de saúde de Goiânia. Todo mundo só quer saber dos direitos, mas os deveres, nem pensar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.