Médico brasileiro é preso após denúncia de assédio contra vendedora muçulmana

Victor Sorrentino ficou conhecido por defender o tratamento “precoce” contra a covid-19 com medicamentos como a cloroquina

Médico brasileiro Victor Sorrentino, | Foto: reprodução Instagram

O médico brasileiro Victor Sorrentino, foi preso em Luxor, no Egito, no último domingo, 30, após assediar uma vendedora local. A situação foi registrada pelo médico em vídeo e publicado nas redes sociais. A prisão foi confirmada pelo Ministério do Interior Egípcio.

No vídeo, o médico pergunta à egípcia que estava oferecendo um papiro, material resistente e sólido usado para a escrita, em português: “vocês gostam mesmo é do bem duro, né? Comprido também fica legal, né?”. Sem entender, a mulher sorri. Após o vídeo ganhar destaque nas redes sociais, o médico privou seu perfil no Instagram e logo depois publicou um vídeo de desculpas: “Sou um cara muito brincalhão”, disse.

O Ministério do Interior do Egito publicou, em suas redes sociais, a denúncia contra o brasileiro afirmando ter tomado as medidas necessárias e que qualquer cidadão egípcio pode denunciar um estrangeiro. O país tornou crime o assédio sexual em 2014, na lei está previsto multas ou pena de seis meses a três anos de prisão.

Victor Sorrentino ficou conhecido por defender o tratamento “precoce” contra a covid-19 com medicamentos como a cloroquina.

Com informações do Portal Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.