Malafaia rebate Lula: “mensalão não foi o diabo, foi o PT”; veja vídeo

Declaração do pastor veio após petista ironizar protestantes, ao dizer: “você está desempregado, é o diabo. Está doente, é o diabo”

Foto: divulgação

Foto: divulgação

O pastor Silas Malafaia divulgou um vídeo na última sexta-feira (22), em resposta ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que ironizou pastores protestantes em reunião sindicalista na última quarta-feira (20). “O mensalão não foi o diabo. A roubalheira escandalosa da Petrobras não é o diabo, é o teu partido, Lula”, disse Silas, após garantir que pastores não colocam a responsabilidade de erros humanos no diabo.

Isso porque o ex-presidente comparou a culpa colocada no governo em situações em que as reivindicações da categoria não são atendidas ao discurso dos pastores: “Os pastores evangélicos jogam a culpa em cima do diabo. Você está desempregado é o diabo, está doente é o diabo, tomou um tombo é o diabo, roubaram o seu carro é o diabo”.

No vídeo em resposta ao ex-presidente, Silas citou ainda questões envolvendo a Petrobras, a refinaria de Pasadena, dizendo que a culpa de tudo isso era do PT. “Por exemplo, quem cometeu o estelionato eleitoral enganando povo, abaixando a energia elétrica para depois explodir o preço, não foi o diabo, foi o PT. Outra coisa: não foi o diabo que tirou emprego do povo brasileiro, é a política econômica do governo do seu partido, o PT”, bradou.

O pastor ainda respondeu outro ponto criticado pelo ex-presidente: o dízimo nas igrejas. O petista havia dito que basta pagar o dízimo para ser salvo. “A solução também está ali. É Deus. Pague o seu dízimo que Jesus te salvará”, disse durante a reunião com os sindicalistas.

Em resposta, Silas afirmou que de acordo com a Bíblia, somente a mentira é algo atribuído ao diabo. “Quando o homem mente, ele se parece com o diabo. Lula, que tal você falar toda verdade e parar enganar o povo brasileiro? Fala que sabe de todo esse roubo e essa cachorrada do seu partido!” Sila também garantiu que “nenhum pastor diz que dízimo salva”.

Por fim, o líder religioso assegurou não ter ódio do petista, e alfinetou: “Lula, Deus liberta da cachaça, viu?”

Veja o vídeo:

5 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
5 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Silvio Douglas

10 p/ Malafaia e 0 p/ o molusco!

ironei

Terreno perigoso essa ideia de confronto entre política e religião. Dar crédito a Malafaia é um absurdo. O que Ele fez de bom para o Brasil, para uma comunidade ou mesmo em favor da sua igreja. Ele sobrevive fazendo esse joguinho, estando de um lado ou de outro, lembro que Ele já apoiou o PT, seu objetivo é claro ter resultado financeiro. Nesse momento a imprensa mantém-o sob holofote por que é claro sua posição contra o PT. É um absurdo que um pastor fique degladiando-se com políticos, envolvendo a fé religiosa e política. Todos temos a nossa crença e… Leia mais

Epaminondas

O PT anda tão desprestigiado que o Malafaia prefere defender o Diabo a defender o partido.

Santos Van

Malafaia só vai esquecer do Lula quando sair do Armário… Tem de se apegar a “algo” enquanto enfrenta sua crise de abstinência do que é sua”verdadeira paixão “… E enquanto luta “bravamente” contra as “forças estranhas” que lhe solicita “adentrar algo em suas entranhas”, se foca que Lula que tanta excitação lhe permite segurar por mais algum tempo seu quase incontrolável desejo!

Carlos Figueiredo Do Nasciment

Sr. Silas Malafaia, você está fazendo várias acusações contra o governo e o PT, baseado em informações falsas e depois vem falar que quem mente se assemelha ao diabo. Você, como homem instruído que é, sabe que são informações falsas, boatos criados e exagerados pela mídia golpista, mas ainda assim vem dizer que o ex-presidente Lula e o PT são culpados. Malafaia, se você tem provas verdadeiras do que você diz, apresente-as, não venha repetir factoides. E mais uma coisa, você como cristão (ao menos diz ser) deveria ser mais cauteloso em ofender o governo e a sua autoridade. A… Leia mais