Levantamento do Hospital do Coração mostra aumento de 122% nos casos de intoxicação alimentar

Para prevenir enfermidades desse gênero, dois pontos devem ser sempre verificados: a armazenagem e a higienização dos alimentos consumidos

Adriana Coppola Faria

Um levantamento do Hospital do Coração (Hcor), em São Paulo, concluiu que o número de atendimentos por intoxicação alimentar no hospital aumentou 122% entre os anos de 2009 e 2013. Esse dado é um alerta para a população que consome alimentos vendidos na rua ou que ainda não armazena e higieniza corretamente frutas, legumes e folhas antes de preparar as refeições.

Números divulgados pelo Centro de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo mostram que, entre 2011 e 2012, foram registrados, em todo o estado, 307 surtos de doenças transmitidas por alimentos (DTA). Para prevenir enfermidades desse gênero, dois pontos devem ser sempre verificados: a armazenagem e a higienização dos alimentos consumidos.

Frutas, quando ainda não maduras, devem ser armazenadas em temperatura ambiente para manter sua qualidade. Já a maioria dos legumes e folhas tem que ser guardado na geladeira em um recipiente com tampa. A higienização deve ser feita com produto certificado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), pois somente banhá-los em água corrente não é um procedimento seguro.

Os sintomas mais comuns em quadros da intoxicação alimentar são náuseas, dor abdominal, febre, vômitos e diarreias. A doença pode se tornar muito grave em crianças, pois elas ainda não têm o organismo totalmente preparado para suportar uma carga bacteriana intensa. O mesmo pode acontecer com idosos, caso já tenham apresentado sinais de saúde fragilizada.

Existem no mercado bactericidas como o Hidrosteril, que têm a função de livrar vegetais, frutas, verduras e água de bactérias causadoras da intoxicação. Para garantir a eficácia, o consumidor deve sempre seguir as indicações de uso, que normalmente estão no rótulo da embalagem. É importante lembrar que a água também pode ser a porta de entrada de bactérias ao organismo, por isso, todo cuidado é essencial.

 Adriana Coppola Faria é farmacêutica da Saggio do Brasil, fabricante do Hidrosteril®, bactericida com ação comprovada pela Anvisa, utilizado pelo exército brasileiro para desinfetar a água durante expedições.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.