Justiça nega pedido de Divino Lemes e mantém inelegibilidade

Desembargador manteve condenação do candidato à Prefeitura de Senador Canedo por improbidade administrativa em caso envolvendo doação de um terreno na cidade

Divino Lemes tem contra sua candidatura uma condenação de segundo grau da 1ª Câmara Cível do TJ-GO | Foto: Facebook

Divino Lemes tem contra sua candidatura uma condenação de segundo grau da 1ª Câmara Cível do TJ-GO | Foto: Facebook

O vice-presidente do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás, desembargador João Waldeck, negou nesta segunda (19/9), o pedido do candidato Divino Lemes (PSD) para suspender os efeitos de sua condenação por improbidade administrativa.

Com a decisão o desembargador, Lemes segue considerado inelegível pelo crime de improbidade administrativa. Divino foi condenado por doar área pública da Prefeitura de Senador Canedo, de valor superior a R$ 3 milhões, para uma empresa privada que seria de propriedade real de Vilmar Lima, candidato a vereador e também impugnado, sem fazer a avaliação do bem ou concorrência pública.

Eles foram condenados a cinco anos de direitos políticos cassados em decisão de julho de 2016. O caso também se enquadra, na decisão do juiz, na Lei da Ficha Limpa.

Na última quinta-feira (15), Divino teve sua chapa indeferida por determinação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que entendeu que essa condenação o impossibilita de concorrer à Prefeitura de Senador Canedo. Ao Jornal Opção, Divino informou que vai recorrer da decisão.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.