Ele é amigo de Pedro Kambreck, que foi picado por uma cobra exótica no Distrito Federal

Cobra naja apreendida pela polícia no DF | Foto: Reprodução

A Justiça do Distrito Federal prorrogou, no sábado, 25, a prisão temporária do estudante de veterinária Gabriel Ribeiro. Ele é suspeito de envolvimento na ocultação de provas de tráfico de animais.

Com a prorrogação, Gabriel ficará mais cinco dias preso. Ele está detido desde a última quarta-feira, 22, na carceragem da Polícia Civil.

Segundo reportagem do portal Metrópoles, Gabriel Ribeiro pretendia fugir com 16 cobras, que foram encontradas em um haras em Planaltina. A intenção dele era ocultar os animais clandestinos que o amigo, Pedro Kambreck criava.

A reportagem mostra ainda que o rapaz contou à polícia ter recebido uma ligação de Pedro perguntando se poderia guardar duas cobras na chácara.

Gabriel foi até a casa do amigo por volta das 22h. De lá, seguiram para Planaltina. Ao chegarem no haras, as cobras foram colocadas pelo estudante em uma baia de cavalos. 

Kambreck foi picado por uma cobra naja que criava em casa, no Guará, no Distrito Federal. Desde então a polícia apura esquema de tráfico de animais exóticos no DF.