Janot vai pedir investigação de ministros e senadores do PMDB e PSDB

Políticos foram citados nas delações dos empreiteiros da Odebrecht. Lista inclui Renan Calheiros, Edison Lobão, Romero Jucá, Eliseu Padilha, Moreira Franco e Aécio Neves

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, irá pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) a abertura de inquérito para investigar ministros de Michel Temer (PMDB), além de senadores do PMDB e do PSDB. Todos os envolvidos foram citados nas delações da empreiteira Odebrecht.

Segundo informações da Folha de São Paulo, estariam na lista os ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, e da Secretaria-Geral, Moreira Franco. Entre os senadores, estariam Renan Calheiros (PMDB-AL), Edison Lobão (PMDB-MA) e Romero Jucá (PMDB-RR), além do presidente da Casa, Eunício Oliveira (PMDB-CE). Do PSDB, os envolvidos seriam José Serra (PSDB-SP) e Aécio Neves (PSDB-MG).

Além disso, Janot deve pedir ainda o envio de casos envolvendo políticos citados que não detém foro privilegiado, como os ex-presidentes Dilma Rousseff (PT) e Lula (PT), os ex-ministros Guido Mantega e Antonio Palocci, e governadores, ex-governadores e parlamentares.

No total, a estimativa é que Janot entregue mais de 40 solicitações de diligências, depoimentos e quebra de sigilos. Quem receberá os pedidos é o ministro encarregado da Operação Lava Jato no STF, Edson Fachin. É ele quem decide pela abertura ou não dos inquéritos.

A Procuradoria-Geral da República também estaria avaliando a possibilidade de incluir o nome do atual presidente nos pedidos. Como os episódios que supostamente o envolveriam teriam acontecido antes de ele assumir de maneira definitiva, é preciso verificar se ele pode ser denunciado, já que o presidente não pode ser investigado por atos cometidos antes ou depois de seu mandato.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

raimundo

sou lavrense e tenho nojo desse nosso conterrãnio senador Eunício oliveira o vulgo indio