“Os órgãos responsáveis pelas licitações revelaram uma ineficiência acima do normal. Nada do que a Prefeitura propôs de grande foi feito em Goiânia”, diz Sabrina

Vereadora Sabrina Garcez acredita que obras não serão terminadas neste mandato | Foto: Reprodução

A prática política de economizar no dois primeiros anos do mandato para investir tudo em obras nos dois últimos e concorrer à reeleição pode não dar certo para o prefeito de Goiânia, Iris Rezende, neste mandato, segundo a vereadora Sabrina Garcêz (PTB).

A linha de raciocínio da vereadora se calça numa particularidade constantemente pulverizada pela oposição: uma equipe com ineficiência acima do normal. Ao analisar os dois primeiros anos do irismo, Sabrina diz que não mudou muito para a prática utilizada quando o prefeito ainda governava o estado, nos anos 1980.

“O Iris Rezende tem repetido sua velha política há muitos anos: fazer uma gestão pífia nos dois primeiros anos, economizando dinheiro de onde não deveria, como Saúde e Educação, para financiar grandes obras”, lamenta Garcêz.

A diferença para o fim deste mandato é que o manual de Iris pode estar desatualizado e fora de sintonia com as novas gerações. “Acredito que a Prefeitura não vai conseguir entregar essas obras devido a ineficiência que já vem demonstrando. Os órgãos responsáveis pelas licitações revelaram uma ineficiência acima do normal. Nada do que a Prefeitura propôs de grande foi feito em Goiânia”, avalia a parlamentar.