Iris diz que concessão da Saneago ao Estado é “golpe contra a cidade de Goiânia”

Prefeito eleito afirma que, se preciso, levará o povo às ruas para reverter a lei já aprovada pela Câmara e sancionada pelo prefeito Paulo Garcia (PT)

Prefeito eleito de Goiânia Iris Rezende (PMDB) quer retomar a

Prefeito eleito de Goiânia Iris Rezende (PMDB) quer reivindicar concessão da Saneago ao Estado por mais 30 anos | Foto: Larissa Quixabeira / Jornal Opção

Em seu primeiro encontro com a imprensa após as eleições, o prefeito eleito de Goiânia Iris Rezende (PMDB) voltou a afirmar que pretende rever a concessão da Saneago ao Governo do Estado de Goiás por mais 30 anos, aprovada pela Câmara Municipal de Goiânia e sancionada pelo prefeito Paulo Garcia (PT) em abril deste ano.

“Assim que empossado, vou tomar conhecimento dessa situação. Não vou aceitar nada que possa prejudicar Goiânia. Se for necessário, eu levanto esse povo e vamos entupir essas praças, mas não vamos aceitar esse golpe contra os interesses da cidade”, disse Iris em entrevista.

O prefeito eleito afirmou que irá reivindicar para a prefeitura toda a Saneago de Goiânia, com o objetivo de aumentar a arrecadação da administração municipal. “Vou reivindicar para a prefeitura toda a Saneago de Goiânia, para preservar o direito dos servidores e também para trazer todo o complexo de água e esgoto para o patrimônio da prefeitura. A arrecadação, vindo para Goiânia, será uma das principais fontes de renda, possibilitando capital para começar a construção de novos sistemas de captação de água, caso contrário, em cinco ou seis anos o abastecimento será insuficiente.”

Iris afirmou que quando o Projeto de Lei tramitava na Câmara, chegou a conversar com parlamentares para que não aprovassem a matéria. “Quando soube que estaria sendo estudada a terceirização do sistema de água de Goiânia e que tinha sido encaminhado à Câmara um projeto de concessão por mais 30 anos, chamei a atenção dos vereadores para que não aprovassem isso, que isso era um golpe que estava sendo imposto à cidade de Goiânia.”

Apesar da declaração de Iris Rezende, a Lei de concessão foi sancionada com emenda que proíbe a privatização do serviço de saneamento público no período do contrato, ou seja, por 30 anos.

Por meio da lei, a prefeitura fica autorizada a estabelecer com o Governo do Estado de Goiás gestão associada para a prestação, planejamento, regulação e fiscalização dos serviços de saneamento básico, integrado pelas infraestruturas, instalações operacionais e serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário, no município de Goiânia.

A nova legislação cria ainda o Conselho de Saneamento de Goiânia, cujo objetivo será discutir e deliberar sobre projetos de saneamento e será composto por representantes das secretarias municipais de Infraestrutura; de Planejamento Urbano e Habitação; da Agência Municipal de Meio Ambiente (AMMA); do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás (CREA-GO), do setor empresarial e de dois vereadores.

Durante a campanha, Iris Rezende chegou a dizer que a concessão da Saneago teria sido feita “por meio de negociatas” e aprovada na Câmara sem discussão apropriada com a sociedade, “na calada da noite”.

No último dia 21 de outubro, durante prestação de contas na Câmara Municipal de Goiânia, o prefeito Paulo Garcia respondeu as provocações, dizendo que fazia questão de responder a qualquer questionamento sobre o processo de aprovação da lei. “Quando se fala em negociata dá a entender que quem o fez agiu para atender benefícios próprios ou que agiu contra a lei. Se assim o for, ele que promova uma ação contra mim, pessoalmente, que farei questão de respondê-lo e dizer tudo que eu sei”, afirmou Paulo Garcia.

Deixe um comentário