Idosos serão mais de 11% da população goiana em 2030

Previsão de crescimento para este grupo será de 4,7%, contra -0,6% de crianças de zero a 14 anos de idade

Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Estudo elaborado pelo Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (IMB) mostra crescimento da participação dos idosos no Estado de Goiás. Conforme os dados, a estimativa é que esse grupo alcance 11,4% da população goiana em 2030.

Em 2010, esse número era de 6%, resultado superior ao verificado em 1970, quando a porcertagem era de apenas 2%. Somado à redução da taxa de fecundidade, o aumento progressivo do número de idosos em Goiás, segundo o instituto, resultará em um “acelerado processo de envelhecimento da população”.

Para 2030, a previsão do IMB é que haverá 65 idosos para 100 crianças. Entre os anos de 2020 e 2030, a taxa de crescimento esperada para este grupo será de 4,7%, contra -0,6% de crianças de zero a 14 anos de idade, no mesmo período de tempo compreendido.

O estudo do instituto da Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan) aponta ainda para uma “feminilização da velhice” no Estado de Goiás. Conforme o levantamento, no ano de 2010 as mulheres representavam 52,4% dos idosos e passarão a ser 55% em 2030.

O estudo do IMB/Segplan levou em conta pessoas acima de 64 anos de idade, considerando sua heterogeneidade socioespacial. Segundo a pasta, o objetivo do levantamento é “oferecer subsídios às ações e políticas públicas que contemplem distintas realidades e, assim, garantir melhor qualidade de vida para os idosos goianos”.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.