A pessebista abriu 10 pontos de vantagem sobre Aécio Neves (PSDB), se isolando na segunda colocação

Diferentemente do que foi divulgado pela revista Veja na tarde desta terça-feira (26/8), a pesquisa Ibope não apontou para um empate técnico no primeiro turno entre a ex-senadora Marina Silva (PSB-Rede) e a presidente Dilma Rousseff (PT). Ainda assim, a pessebista conseguiu abrir 10 pontos de vantagem sobre Aécio Neves (PSDB), se isolando na segunda colocação.

Conforme levantamento, Dilma ainda lidera com 34% das intenções de voto, seguida por Marina, com 29%, e Aécio Neves, com 19%.  A margem de erro máxima da pesquisa é de dois pontos porcentuais, para mais ou para menos.

Na pesquisa espontânea, Dilma também permanece em primeiro lugar, com 27% das intenções de voto. Na segunda colocação, Marina chega a 18%, seguida de Aécio, com 12%. Já o número de eleitores indecisos nesta categoria saiu de 43%, na última rodada da pesquisa, para 28%.

A surpresa, no entanto, ficou para os resultados obtidos para um possível segundo turno entre Dilma e Marina. Segundo a pesquisa, caso a eleição fosse realizada hoje, a ex-senadora sairia vencedora com 45%, contra 36% da petista.

Além disso, o instituto Ibope também apontou que Marina possui a menor rejeição entre os três primeiros colocados para a disputa presidencial. Apenas 10% dos entrevistados disseram que não votariam na ex-senadora de jeito nenhum, ao passo que 36% afirmaram que não votariam em Dilma, e 18% rejeitaram Aécio.

Entenda

A entrada de Marina Silva na corrida presidencial ocorreu após a morte do cabeça de chapa pessebista, Eduardo Campos. O partido resolveu oficializar o nome da ex-ministra no último dia 16. Antes do trágico acidente aéreo que vitimou Campos, em pesquisas de intenção de votos, quando seu nome era citado entre os presidenciáveis, Marina tinha uma porcentagem maior que a do ex-governador. Em 2010, quando concorreu ao cargo pela primeira vez, ela ficou na terceira colocação, obtendo 19 milhões dos votos válidos (19,3%).