Hospital de Pirenópolis recebe certificado de qualidade em segurança do paciente

Organização Nacional de Acreditação, que concede certificação, segue padrões internacionais de qualidade nos atendimentos em Saúde

Hospital Estadual Ernestina Lopes Jaime (HEELJ), em Pirenópolis | Foto: SES / GO

O Hospital Estadual Ernestina Lopes Jaime (HEELJ) receberá nesta segunda-feira (4/6) certificação da Organização Nacional de Acrediação (ONA) 1, referente à qualidade e segurança do paciente, cujo objetivo é reduzir a zero as possibilidades de erros nos atendimentos.

A ONA é a mais respeitada entidade que certifica a qualidade dos serviços de unidades públicas em saúde do Brasil em acordo com a metodologia reconhecida pela ISQua, International Society for Quality in Health Care, associação parceira da Organização Mundial de Saúde (OMS).

A cerimônia de entrega do certificado terá a presença do Governador de Goiás, José Eliton (PSDB), e do Secretário de Saúde de Goiás, Leonardo Vilela.

Para o governador José Eliton, a conquista da acreditação ONA 1 pelo HEELJ “é resultado dos investimentos e da determinação do Governo de Goiás em promover uma saúde pública estadual de qualidade, capaz de transformar a vida dos goianos”.

O secretário Leonardo Vilela destaca que a reforma e a modernização de equipamentos verificados no HEELJ sintetizam o empenho do Governo do Estado em prestar, cada vez mais, uma assistência mais qualificada à população. “Temos a convicção de que acertamos ao transferir a gestão das unidades hospitalares para as organizações sociais”, afirma, ao acentuar que todas as ações realizadas pelas OSS são, ao mesmo tempo, compartilhadas e validadas pelo Estado.

O hospital de Pirenópolis é a segunda instituição estadual do interior de Goiás a receber a certificação. O primeiro foi o Hospital de Urgências Trindade (Hutrin).

Segundo a Diretora Geral da Unidade, Silvana Maria Graziani Braga, a Acreditação é fruto de um trabalho de dois anos e seis meses, sobretudo na qualificação das equipes profissionais. Reduzir os riscos o máximo possível exige rigor para uma série de regras e critérios técnicos. “Os protocolos e procedimentos que seguimos não deixam margem para o erro”, garante Silvana.

Esses procedimentos envolvem uma preparação, um contato e uma identificação do paciente que antecede qualquer procedimento ou atendimento. Cuidados que vão desde a identificação correta do paciente; passando pela Classificação de Risco com o uso de pulseiras coloridas; até o estabelecimento de critérios e protocolos que asseguram uma cirurgia dentro dos parâmetros de segurança.

Toda a preparação e investimentos foram feitos para que o HEELJ pudesse se candidatar à certificação. “O maior desafio agora é mantermos o alto padrão de qualidade que a Acreditação exige e garantir à população de Pirenópolis o melhor atendimento possível”, conclui.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.