Homem suspeito de matar e colocar corpo de mulher grávida em saco confessa crime e se diz arrependido

O eletricista teria matado a jovem enforcada após uma discussão

Foto: Marcelo Gouveia/Jornal Opção Online

Foto: Marcelo Gouveia/Jornal Opção Online

A Polícia Civil apresentou na manhã desta segunda-feira (29/12) o homem suspeito de matar Ana Paula Pereira da Silva, de 21 anos, encontrada morta  na última sexta-feira (26) dentro de um saco de lixo no Setor Jardim Nova Esperança, em Goiânia. O eletricista Fábio José dos Santos Reis, de 31 anos, confessou o crime e disse que está arrependido. “Estava fora de mim e aconteceu. Acabei cometendo outro erro, que foi jogar o corpo na rua”, disse.

O suspeito se negou a dar detalhes sobre a motivação do crime e suas relações com a vítima. Conforme relato do delegado responsável pelo caso, Fábio Meireles, o eletricista matou a jovem enforcada após uma discussão na casa do possível assassino. Segundo a versão de Fábio José, Ana Paula teria furtado alguns objetos no local dias antes do crime, o que teria provocado a briga.

“Ele disse que, depois de matar Ana Paula, entrou em desespero e saiu de casa. Então, ele saiu de casa e encontrou aquele lixo jogado na rua, aproveitou aquele saco plástico, retornou para casa, colocou o corpo e jogou ela no local em que foi encontrada”, relatou o delegado.

Câmeras de segurança registraram o momento em que Fábio deixou a sacola embaixo de uma árvore, onde já havia outros sacos de lixo Foto: Reprodução

Câmeras de segurança registraram o momento em que Fábio deixou a sacola embaixo de uma árvore, onde já havia outros sacos de lixo Foto: Reprodução

Um laudo do Instituto Médico Legal (IML) confirmou que a vítima estava grávida de cinco meses quando foi morta. Fábio José contou à polícia que tinha conhecimento da gravidez e por isso também deve responder por aborto, além de homicídio duplamente qualificado.

Em entrevista à imprensa, Fábio José relatou que estava  sob efeito de álcool e drogas quando matou Ana Paula por asfixia e não chegou a pensar que também estaria tirando a vida da criança. O eletricista negou qualquer envolvimento amoroso com a vítima, alegando que eram apenas “conhecidos”.

Caso seja condenado pelos crimes citados, Fábio José pode pegar mais de 40 anos de prisão. O suspeito possui antecedente criminal por homicídio no Estado de Rondônia, mas alega que já cumpriu pena.

A polícia já ouviu cinco testemunhas e deve dar prosseguimento às oitivas durante esta semana. A corporação também aguarda a conclusão de laudos periciais para que o inquérito seja finalizado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.