Grupo causa confusão na Assembleia ao pedir retirada de exposição sobre Coreia do Norte; veja vídeo

Entre as pessoas estava o adolescente que foi ao seminário sobre reforma política na PUC e chamou presentes de “excomungados”. Expositor afirma que grupo busca mídia

De camisa xadrez, presidente do PPS, José Neto, que estava fazendo a exposição | Foto: Sarah Teófilo

De camisa xadrez, presidente do PPL, José Netto, estava organizando a exposição | Foto: Sarah Teófilo

Um grupo de cerca de cinco pessoas causou confusão na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), na manhã desta quinta-feira (30/4). Eles compareceram à sessão e tentaram chamar a atenção dos deputados, mas não obtiveram sucesso. O grupo pedia pela retirada da exposição sobre a Coreia do Norte — que está no local desde segunda-feira (27/4) e está prevista para finalizar às 14 horas desta quinta –, organizada pelo presidente do PPL, José Netto.

Dentre as pessoas no local estava o adolescente de 17 anos Marco Rossi Medeiros, que causou confusão em um seminário sobre reforma política na PUC, na última sexta-feira. Na ocasião, o adolescente criticou a CNBB, representada pelo Daniel Seidel (PT), e afirmou que o petista foi encarregado de fazer propaganda do projeto de reforma política que, de acordo com ele, faz parte do projeto de poder comunista do PT. Marco ainda questionou a realização do evento na PUC, instituição católica, e chamou ops presentes de “excomungados”

Dessa vez, a briga de Marco foi pela “apologia ao comunismo” que, de acordo com ele, está sendo realizada na Assembleia Legislativa, devido à exposição sobre a Coreia do Norte. “No código penal não é permitido fazer apologia ao Nazismo. Infelizmente, hoje você pode fazer apologia ao comunismo ainda, e temos lutado pela criminalização disso, porque o regime comunista matou pelo menos o dobro que o Nazismo”, disse.

Banner da exposição na Assembleia Legislativa | Foto: Sarah Teófilo/ Jornal Opção

Banner da exposição na Assembleia Legislativa | Foto: Sarah Teófilo/ Jornal Opção

Murilo Resende, que também faz parte do Movimento Brasil Livre, também estava no local e afirmou que não deve-se aceitar em Goiás apologia a um regime totalitário e genocida. “Esse rapaz, se fazendo de coitado, está dizendo que a gente está atacando ele. Mas ele é mal intencionado, fazendo apologia a um regime criminoso. isso é crime, gente.”

O expositor, José Netto, que é presidente do PPL, disse ao Jornal Opção Online que o grupo busca apenas um espaço na mídia. “Eles fizeram baderna na PUC, agora vem aqui”, sustentou. José Neto explica que foi à Coreia do Norte e resolveu fazer uma exposição sobre a cultura do local. “Para as pessoas conhecerem a verdade sobre o País, e não simplesmente o que se fala na mídia”, disse.

No decorrer da confusão, os seguranças da Assembleia Legislativa retiraram Murilo Resende do local, alegando que ele havia infringido as normas da Casa. O economista gritou que estava sendo agredido, que tinha direito de entrar no local, e foi conduzido para a sala da assessoria da presidência.

Veja vídeo do momento da confusão:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.