Governo entrega linha de transmissão da Celg GT de Itapaci a Barro Alto

Investimento de R$ 35 milhões vai proporcionar segurança de energia elétrica à região, afirma governo

Vilmar Rocha e Fernando Navarrete

Vilmar Rocha e Fernando Navarrete durante inauguração | Foto: reprodução

O secretário de Meio Ambiente e Cidades (Secima), Vilmar Rocha (PSD), representando o governador Marconi Perillo (PSDB), e o presidente da Celg Geração & Transmissão – Celg GT –, Fernando Navarrete, inauguraram na manhã de hoje no município de Itapaci, região do Vale do São Patrício, uma linha de transmissão de energia elétrica com 69 quilômetros ligando a subestação do município à cidade de Barro Alto, na mesma região. A solenidade contou com a presença de líderes políticos e empresariais de várias cidades da região.

Em parceria com Furnas, a Celg GT investiu R$ 35 milhões na expansão da rede. Segundo Vilmar Rocha, esse é um passo importante para os investidores, porque terão uma maior disponibilidade de energia, o que é vital para quem quer instalar um empreendimento na cidade ou em outro município da região.

O secretário lembrou que uma das reclamações mais comuns que chegam à Celg e à Secima é de apagões que ocorrem em várias regiões do Estado. As subestações, como esta de Itapaci, acredita, reduzem esse risco.

Vilmar Rocha voltou a falar da privatização da Celg Distribuição – Celg D – que desde fevereiro de 2012 é controlada pela Eletrobrás. “O governo está na expectativa de que até o mês que vem consigamos sacramentar a venda da Celg D. Quem arrematar a empresa terá que investir nos próximos três anos, mais de R$ 2 bilhões. Nós não tínhamos recursos para investir. Com a privatização e os investimentos previstos, vai melhor muito a distribuição de energia no Estado”, comentou.

Fernando Navarrete também acredita que toda a região sentirá no dia-a-dia a importância dessa extensão de 69 quilômetros de linha de transmissão inaugurada hoje: “Ela aumenta a confiabilidade na distribuição de energia elétrica. Os consumidores vão notar que os picos de tensão e os desligamentos vão diminuir”.

Ele citou a capacidade que as distribuidoras vão ter de entregar novas cargas: “Essa é uma região que está tolhida no seu desenvolvimento por falta dessa capacidade de nova carga de energia. A capacidade de atrair novas empresas volta para Itapaci e região”.

Hoje a Celg GT tem obras em Itapaci, Barro Alto, Anápolis, Goiânia, Jataí, Itumbiara, Aparecida de Goiânia, Trindade, Firminópolis, Luziânia e em outras cidades. Em 2012 ela quase foi extinta em razão da política de preços adotada pela presidente da república da época. O preço da energia caiu e depois subiu em dobro após a reeleição da presidente Dilma Roussef. “Naquele momento – lembrou Navarrete – todas as empresas geradoras, como a nossa, perderam muito de sua capacidade de investir”.

A receita da Celg GT despencou de R$ 70 milhões para R$ 10 milhões/ano. “Quase fechamos as portas. Chegamos a fazer uma reunião de diretoria para encaminhar ao governador Marconi Perillo a decisão de parar. A rigor, a empresa não tinha nem condições de continuar existindo”, recordou Navarrete.

A decisão do governador Marconi Perillo foi acreditar na empresa. “E ele tinha razão. Quatro anos depois estamos inaugurando obras sem parar, em várias regiões. Temos que reconhecer de público a importância do governador Marconi Perillo e do secretário Vilmar Rocha pela situação em que nos encontramos hoje”, salientou.

Hoje o governo de Goiás está incentivando a geração de energias renováveis. No âmbito da Celg GT há um projeto pioneiro no Brasil de instalar cinco usinas fotovoltaicas no Estado. Serão priorizadas as cidades onde a Celg GT tem subestações. Itapaci é uma das localidades que podem receber esse novo investimento, que é da ordem de R$ 25 milhões. “Está em estudos, mas posso dizer que é bastante provável que instalaremos uma usina solar aqui em Itapaci”, anunciou Navarrete.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.