Governador volta a pedir mobilização da sociedade por mais investimentos em segurança

Marconi garantiu que continuará investindo na área, mas pede maior participação do governo federal

Governador entrega novas viaturas | Foto: Eduardo Ferreira

Governador entrega novas viaturas | Foto: Eduardo Ferreira

O governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), conclamou hoje o conjunto das forças de segurança do Estado a fazer uma mobilização nacional em defesa da criação do Fundo Nacional de Segurança Pública.

O pedido de engajamento foi feito na manhã desta segunda-feira (28/11), durante solenidade de entrega de 200 novas viaturas, coletes à prova de bala, armamento e equipamentos de Proteção Individual (EPI) à Polícia Militar, Civil, Corpo de Bombeiros e Superintendência da Polícia Técnico Científica (STPC).

A solenidade, realizada da Academia de Polícia Civil, reuniu além do vice-governador e secretário de Segurança Pública, José Eliton (PSDB), o Comandante-Geral da PM, coronel Divino Alves, o diretor-geral de Polícia Civil, Álvaro Cássio, do Corpo de Bombeiros Militar, Carlos Helbingen, e integrantes das três corporações.

Marconi assinalou que, em caso de votação da vinculação constitucional, não necessariamente os estados deverão aplicar menos recursos no setor. “O governo do Estado continuaria investindo esse montante (12,5%), mas é preciso mais”, disse. Segundo ele, a União tem a “obrigação” de garantir mais recursos para a Segurança Pública, de forma a proteger os cidadãos. “Com mais dinheiro, nós teremos como efetivar as políticas de segurança e proteger o cidadão”, justificou.

De acordo com Marconi, o governo estadual tem aplicado “vultosos recursos” na Segurança Pública. “Para se ter ideia, a cada um ano e meio realiza-se a troca da frota de 2.141 viaturas e, no ano que vem, mais 700 novos veículos reforçarão a frota do Estado para a área. Se todo mundo começar a enviar e-email, a gente pode mudar essa realidade”, conclamou à plateia, formada por delegados, agentes e policiais civis e militares.

Em relação à crise econômica que passa o País, afirmou que a grande preocupação não é com a questão conjuntural, mas com as medidas estruturantes a longo prazo. “Eu não vou deixar a peteca cair no meu governo”, disse Marconi, ao enfatizar que será governador por pouco mais de um ano e meio e que é preciso pensar políticas de governo voltadas para o futuro. “A grande preocupação nossa é com a responsabilidade e com a austeridade fiscal”, observou.

Para o governador, o tripé de qualquer boa gestão pública é composto de Segurança Pública, Saúde e Educação: “Investir nesses pilares é garantir as bases para o desenvolvimento a curto, médio e longo prazos”. Por fim, Marconi fez um agradecimento especial ao vice-governador por ter aceitado o desafio de comandar uma das áreas “mais duras e difíceis” do Estado, que é a Segurança Pública, mas que a escolha dele teve um significado especial: “Quem é que vai deixar de reconhecer as postulações legítimas de alguém como o vice-governador do Estado e que tem carta branca do governador?”.

Novos veículos

Na solenidade de hoje foram destinados 200 veículos às Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros, superintendências da Polícia Técnico-Científica e Administração Penitenciária. Além disso, foram destinados 500 novos coletes balísticos femininos à Polícia Civil. Na primeira etapa, em outubro desde ano, foram entregues 400 novos veículos à Polícia Militar e às Superintendências da Polícia Técnico-Científica e de Administração Penitenciária.

Os investimentos na renovação dos contratos com quatro empresas locadoras de veículos por um período de mais 24 meses são da ordem de R$ 133,3 milhões.

Segundo o governador, o objetivo é dar maior segurança e agilidade aos policiais na execução de suas atividades ostensivas, investigativas e administrativas. Os veículos serão distribuídos a unidades policiais de Goiânia, Região Metropolitana de Goiânia e interior. A renovação de toda a frota será feita em etapas.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.