Governador de Indiana, nos EUA, aprova lei que autoriza proibição de gays em comércios e é criticado

Após a promulgação do “Ato de Restauração da Liberdade Religiosa”, o Estado sofreu retaliação por defensores dos direitos LGBT

Governador de Indiana, Mike Pence, foi criticado pela lei | Foto: reprodução / Facebook

Governador de Indiana, Mike Pence, foi criticado pela lei | Foto: reprodução / Facebook

Com o argumento de “liberdade religiosa”, o Estado de Indiana, nos Estados Unidos, aprovou uma lei que permite que os estabelecimentos comerciais proíbam a entrada de casais homossexuais.

Para o governador de Indiana, o republicano  Mike Pence, a norma não é discriminatória, pois garantiria que “a liberdade esteja totalmente protegida sob a legislação”. “Se eu pensasse que legaliza a discriminação de alguma maneira, o teria vetado”, defendeu.

I signed the Religious Freedom Restoration Act, because I support the freedom of religion for every Hoosier of every faith. Read more: http://www.mikepence.com/pence-statement-on-rfra-signing/

Posted by Mike Pence on Quinta, 26 de março de 2015

Post na página oficial do governador Mike Pence: “Eu assinei o Ato de Restauração da Liberdade Religiosa, porque eu defendo liberdade religiosa para cada Hoosier (denominação que se dá aos habitantes do Estado de Indiana) de qualquer que seja a fé”

Após a promulgação, a cidade de San Franscisco – conhecida mundialmente pelo histórico ativismo em defesa dos direitos LGBT -,  anunciou um boicote ao Estado. O prefeito Ed Lee afirmou que a cidade não irá mais financiar viagens de funcionários públicos a Indiana.

“Permanecemos unidos como cidadãos de San Francisco para condenar a nova lei discriminatória de Indiana e trabalharemos para proteger os direitos civis de todos os americanos, incluindo lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros. A partir de agora, estabeleço aos diretórios municipais que barrem qualquer viagem de funcionário público ao Estado de Indiana que não seja absolutamente essencial para saúde e segurança pública”, defendeu o prefeito democrata em nota.

A polêmica lei também causou revolta nas redes sociais. Pelo Twitter, o ator Ashton Kutcher perguntou se o Estado também passaria a permitir que “estabelecimentos cristãos proibissem  a entrada de judeus em nome da liberdade religiosa”. Já a cantora Miley Cyrus teceu duras críticas ao governador Mike Pence. “Você é um babaca”, escreveu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.