Goiás salta da 16ª para a 8ª posição no ranking nacional de geração de energia solar

Número de usinas de energia solar fotovoltaica no Estado foi triplicado, chegando a 412 instalações que geram cerca de 31,8 mil kilowatts por dia

Secretário Vilmar Rocha discursa durante evento | Foto: divulgação

Nos últimos dez meses, Goiás saltou da 16ª para a 8ª posição no ranking nacional de geração de energia solar distribuída. O crescimento é fruto direto do Programa Goiás Solar, lançado pelo governador Marconi Perillo (PSDB) em fevereiro deste ano. 

Nesta terça-feira (12/12), o secretário Vilmar Rocha (PSD) reuniu integrantes do governo como os secretários Joaquim Mesquita (Segplan) e Francisco Pontes (SED), diretores da Celg G&T, Enel/Celg D, o presidente executivo da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), Rodrigo Sauaia, empresários e professores universitários para apresentar um balanço destes primeiros meses do programa.

“O programa Goiás Solar tem menos de um ano e já é uma referência nacional. Avançamos muito e agora já estamos planejando as ações para o ano que vem. O objetivo é alcançarmos no ano que vem a 6ª posição nacional em energia solar distribuída, que é essa que vai para as residências e para os prédios”, ressaltou.

Lançado em fevereiro deste ano, o Programa Goiás Solar é parte do esforço do governo para a elaboração de políticas públicas e adoção de medidas que incentivem o consumo e a geração de energias limpas e renováveis, especialmente a solar, valorizando os recursos naturais estratégicos para o crescimento sustentável da economia goiana, o desenvolvimento de novos negócios, a geração de empregos, a preservação ambiental e o incentivo da cadeia produtiva.

O Goiás Solar atua em cinco eixos que tratam de questões tributárias, desburocratização, financiamentos, desenvolvimento e fomento da cadeia produtiva e ainda educação e comunicação.

“O programa tem sido um ponto importante no impulsionamento da geração e do consumo de energia solar em Goiás. Os equipamentos ainda são caros, mas temos trabalhado forte para baratear esses custos e criar linhas de financiamento específicos para a energia solar, inclusive a distribuída. O charme da energia solar é essa distribuída, porque ela é mais democrática e acessível”, completou.

Referência no País, o Goiás Solar ajudou a triplicar o número de usinas de energia solar fotovoltaica no estado de Goiás, chegando a 412 instalações que geram cerca de 31.880 kilowatts por dia. Além disso, o programa propôs alianças estratégicas entre Estado, universidades, municípios, empresas, instituições financeiras e sociedade civil organizada.

Outro dado importante apresentado na reunião é que o Goiás Solar tem auxiliado com a desburocratização e a redução da carga tributária, além da implementação de diversas iniciativas que corroboram com o desenvolvimento da geração e transmissão de energia solar. A intenção do Programa é capilarizar a geração de energia solar fotovoltaica para todas as regiões do estado, fomentando o uso desta energia em áreas urbanas e rurais.

Para o presidente da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), Rodrigo Sauaia, o rápido crescimento da energia solar em Goiás está diretamente relacionado a implementação do Programa Goiás Solar. Para ele, as estratégias, a metodologia utilizada e a concepção do Programa tem sido determinantes. “Este Programa saiu do papel e foi posto em prática”, afirmou. “Goiás é exemplo para o Brasil. O programa Goiás Solar é referência e tem sido apresentado em várias regiões do Brasil como um modelo a ser copiado”, disse.

Deixe um comentário