Goiás registra melhor mês dos últimos 5 anos no quesito abertura de empresas

Foram constituídos mais de 2,5 mil empreendimentos em todo o Estado, número 18% maior do que o observado em julho de 2019 e quase 70% superior ao mesmo período de 2016

Foto: Divulgação

Mesmo com uma pandemia em curso, Goiás conseguiu bater mais um recorde na área Econômica. Neste último mês de julho, foi registrado o maior número de empresas constituídas no Estado em relação aos últimos cinco anos.

O crescimento quando comparado ao mesmo período de 2019 é de 18% (2.524 contra 2.135) e de quase 70% (2.524 contra 1.512) quando o parâmetro é 2016. Ou seja, o acréscimo é superior ao computado em julho de um dos anos que mais movimentou obras, serviços e comércio em todo o País, devido a realização das Olimpíadas no Brasil.

Os dados divulgados pela Junta Comercial do Estado de Goiás (Juceg) também apontam que o acumulado de janeiro a julho de 2020 lidera o ranking de abertura de empreendimentos desta série desde 2016. São 14.048 contra 13.817 (2019), 12.228 (2018), 11.955 (2017) e 10.981 (2016).

“Somos o primeiro Estado a estender a mão ao cidadão para que ele possa comandar a própria vida. Estamos num momento de mostrarmos resultado para a população. A secretaria da Retomada não tem como objetivo a vaidade, mas sim de planejar com a capacidade que tem o cérebro de cada assessor meu, cada secretário, para ser feito o que é necessário com solidariedade e amor ao próximo”, reforçou o governador em evento realizado na última terça-feira, 4, quando anunciou o titular da nova Pasta criada, César Moura.

No caso específico de micro e pequenos empresários, Caiado relembrou as linhas de créditos disponibilizadas pela GoiásFomento, de forma desburocratizada, com fundo de aval do Sebrae e juros mais baixos do que os de mercado.

Vale lembrar que recentemente a Caixa Econômica Federal (CEF) repassou R$ 20 milhões para o Microcrédito Orientado, que possibilita ao tomador uma consultoria especializada para melhor aplicar o empréstimo. O governo tenta, agora, junto ao Banco do Brasil, via Fundo de Constituição do Centro-Oeste (FCO), liberar mais R$ 200 milhões para os empreendedores.

Para o secretário estadual de Indústria, Comércio e Serviços (SIC), Adonídio Neto, os números divulgados pela Juceg são frutos da força dos programas, benefícios fiscais e atração de novos investimentos.

Ele lembrou ainda dos resultados oriundos de um protocolo firmado para a instalação de 21 empresas no Estado, com a injeção de R$ 1 bilhão em recursos. E, por fim, adiantou que ainda este mês haverá um anúncio semelhante, “de grande impacto”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.