Goiás estima em setembro safra de 23,2 milhões de toneladas

Apesar da queda na produção, área a ser colhida é de 6 milhões de hectares, com alta de 3,8% frente a 2020 – são 223,5 mil hectares a mais

Colheita de milho | Foto: CNA/ Wenderson Araujo/ Trilux

Em Goiás a produção estimada de cereais, leguminosas e oleaginosas para 2021 em setembro deve totalizar 23,2 milhões de toneladas. São 11,0% abaixo da obtida em 2020, com 2,9 milhões de toneladas a menos. Esta tendência de queda da safra goiana já vinha se configurando nas últimas estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Apesar da queda na produção, o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) aponta que a área a ser colhida é de 6 milhões de hectares, com alta de 3,8% frente a 2020 – 223,5 mil hectares a mais. Os dados são preliminares e ocorrências durante o desenvolvimento das culturas modificarão os resultados ao longo dos próximos levantamentos.

Safra recorde de soja e queda de 30% no milho safrinha

A soja e o milho são os dois principais produtos do grupo cereais, leguminosas e oleaginosas em Goiás. Juntos representam 92,7% da estimativa da produção do grupo no estado e respondem por 90,3% da área a ser colhida com produtos deste grupo.

Em relação a 2020, houve acréscimos de 4,3% na área do milho total (0,3% na primeira safra e 4,8% na segunda) e de 4,2% na área da soja.

Em setembro, o LSPA mantém tendência de queda na produção de milho segunda safra, que é uma das principais commodities da agricultura goiana. Houve queda de aproximadamente 30,0%, na produção de milho, frente à safra de 2020, o que representa 3,0 milhões de toneladas a menos. Esta retração é explicada pelo plantio tardio do milho segunda safra e pela falta de chuvas durante o ciclo da cultura que afetou a produtividade das lavouras do cereal.

Apesar do baixo rendimento, a segunda safra representa 82,4% da produção do milho em Goiás e, sozinha, 30,5% de toda a produção do grupo cereais, leguminosas e oleaginosas. Com a soma das duas safras, esse grão deve totalizar 8,6 milhões de toneladas em 2021.

Comparado ao que foi produzido no ano passado, houve queda de 25,9%, apesar de os produtores terem investido na ampliação das áreas de plantio. Apesar do baixo rendimento do milho segunda safra, Goiás se configura como terceiro maior produtor de milho, atrás somente de Mato Grosso e Paraná.

Para a soja, a estimativa de produção se mantém recorde, 12,9 milhões de toneladas, com alta de 1,7% ante ao ano anterior. Com a colheita concluída, a cultura se desenvolveu de maneira satisfatória e a commoditie alcançou seu melhor resultado na série histórica do LSPA. Goiás se consolida como o quarto maior produtor de soja, atrás somente de Mato Grosso, Rio Grande do Sul e Paraná.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.