Goiás é o Estado do Centro-Oeste com menor índice de estupros coletivos

Taxa de notificação do crime está na média do país, mas não há muito o que se comemorar, mostra matéria da “Folha”

Dados inéditos do Ministério da Saúde publicados pelo jornal “Folha de S. Paulo” neste domingo (20/8) mostram que os registros de estupros coletivos mais que duplicaram no Brasil desde 2011: saltando de 1.570 para 3.526, no ano passado.

Do Centro–Oeste, Goiás é o Estado que apresenta o menor índice de notificação do crime: 1,81 a cada 100 mil habitantes. Já o Distrito Federal é o “campeão” da região (e a terceira pior taxa do Brasil), com 4,23 casos. Mato Grosso do Sul tem 2,24 e Mato Grosso, 2,12.  A média nacional é de 1,71.

De acordo com a reportagem, os estupros coletivos representam cerca de 15% dos casos de estupros em todo o País. No entanto, segundo dados do próprio governo federal, há ainda um grande lapso de subnotificação, ou seja, de casos que acabam não sendo registrados pela polícia ou por unidades de saúde.

A estimativa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) é que nada mais nada menos que 90% dos casos acabam não sendo registrados. Isso sugere que os índices de abusos coletivos são muito mais altos do que se tem notícia.

Não bastasse todo o estigma que existe em cima dos crimes sexuais, que também contribuem para a subnotificação, o próprio Ministério da Saúde reconhece que cerca de 30% dos municípios brasileiros não fornecem dados ao sistema.

Somente no ano passado, foram registrados 22,8 mil casos de estupro no Brasil.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.