Goiana diz ser refém em Sydney e manda mensagem: “Estamos sob ataque do Estado Islâmico”

Na publicação, a brasileira aponta demandas do sequestrador e pede para que as pessoas compartilhem

facebook brasileiraUma goiana publicou no Facebook uma mensagem dizendo estar entre os reféns no Lindt Chocolat Cafe, em Sydney, na Austrália. A personal trainer e gerente de projetos Marcia Mikhael, nascida em Goiás e naturalizada na Austrália, publicou exigências do sequestrador que está há mais de 13 horas com reféns no café. Não sabe-se ao certo quando a brasileira publicou as informações. Autoridades brasileiras e australianas não confirmaram ainda presença da goiana no local.

Conforme a mensagem, o homem é membro do Estado Islâmico. “Eles está ameaçando matar a todos nós. Ele quer que o mundo todo saiba que Sidney está sob o ataque do Estado Islâmico”, diz a mensagem, publicada em inglês. De acordo com a publicação, o sequestrador estaria pedindo uma bandeira do Estado Islâmico para que uma pessoa seja liberada; falar com o primeiro-ministro da Austrália Tony Abbot para que cinco pessoas fossem liberadas; e que a imprensa fale para os outros dois irmãos dele que estão na cidade para nas explodirem as outras duas bombas em Sydney. “Por favor, compartilhe. Ele tem uma arma e uma bomba”, diz, a mensagem.

Em últimas informações, a polícia informou que são cerca de 15 pessoas no local. Até o momento, cinco pessoas deixaram o café, mas as autoridades não souberam dizer ainda se eles escaparam ou foram liberados pelo sequestrador. “Eu posso confirmar que temos um criminoso armado nas instalações, que detém um número indeterminado de reféns na cidade, na região de Martin Place”, disse um policial de Nova Gales do Sul, Andrew Scipione, em entrevista coletiva.

Centenas de policiais cercam o café, onde uma bandeira preta com inscrições em árabe foi exibida. A mensagem diz: “Não existe outro Deus senão Alá, e Maomé é o seu profeta”. O policial Andrew informou não ter certeza ainda se o sequestro está relacionado a terrorismo. “Estamos lidando com uma situação de reféns, com um criminoso armado. Nós queremos resolver o caso pacificamente e faremos tudo o que for preciso para garantir isso”.

Familiares de Marcia divulgaram mensagens no Facebook pedindo para que as pessoas parem de compartilhar a mensagem da goiana. “Por favor, não divulguem as mensagens dos reféns. O terrorista está usando-os para se comunicar. Isso pode colocar a minha tia e outros em perigo”, diz publicação de Christine Mikhael. Outra sobrinha, Amanda Mikhael também pede, dizendo que sua tia pode se tornar um alvo do terrorista. “Isso pode causar mais dano do que benefício”, apontou.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.