Ginecologista investigado por abuso de pacientes é preso novamente

O médico Nicodemos Júnior Estanislau Morais, estava preso e no dia 4 de outubro havia ganhado liberdade provisória

Ginecologista Nicodemos Júnior Estanislau Morais | Foto: Divulgação/Polícia Civil

O médico ginecologista e obstetra Nicodemos Júnior Estanislau Morais, de 41 anos, suspeito de crimes sexuais contra pacientes, foi preso novamente na manhã desta sexta-feira, 8, em Anápolis. Ele respondia ao processo em liberdade, mas foi detido após um novo pedido de prisão por vítimas em Abadiânia.

Nicodemos foi preso pela primeira vez, no dia 29 de setembro, após a denúncia de três vítimas. Hoje, cerca de 50 vítimas já relataram a Polícia Civil terem sido abusadas pelo ginecologista, em Goiás, no Pará, Paraná e Distrito Federal. O médico estava preso e no dia 4 de outubro havia ganhado liberdade provisória.

O Cremego tomou conhecimento das denúncias contra Nicodemos Júnior Estanislau Morais no dia 29 de setembro e então o Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego) iniciou os procedimentos para a apuração da conduta do ginecologista e obstetra no exercício profissional. Ele foi proibido temporariamente de exercer a medicina em todo o país.

O Ministério Público de Goiás (MP-GO) está recorrendo da liberdade provisória dado por um juiz de Anápolis. A prisão atual é referente a um novo inquérito relacionado a três vítimas do município de Abadiânia. O médico está sendo conduzido para a cidade, onde será ouvido pelo delegado Rosivaldo Linhares, responsável pela investigação que resultou na prisão de hoje.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.