Gestão Iris diz que não vê motivos para indenizar vítimas de tragédia no Mutirama

Durante sabatina na Câmara de Goiânia, presidente da Agetul sinalizou que prefeitura não pretende pagar indenizações a famílias

Alexandre Magalhães, presidente da Agetul, foi sabatinado na Câmara de Goiânia nesta quinta| Foto: Larissa Quixabeira / Jornal Opção

Pouco antes de ser sabatinado na Câmara de Goiânia na manhã desta quinta-feira (3/8) o presidente da Agência Municipal de Turismo, Eventos e Lazer (Agetul), Alexandre Magalhães, disse que ainda não vê motivos para indenizar as famílias que foram vítimas da tragédia no Parque Mutirama no último dia 26 de julho, após pane em uma das atrações.

“Não vejo motivo ainda de indenização. Estamos atendendo eles e dando tudo que for necessário. O que for preciso, o prefeito nos determinou que é para fazer e atender necessariamente essas pessoas da melhor maneira possível e estamos fazendo”, asseverou.

Já no plenário, questionado novamente pelo Delegado Eduardo Prado (PV) sobre a questão, Alexandre amenizou o discurso e disse que a questão seria conversada com o prefeito Iris Rezende (PMDB), mas continuou a dar respostas evasivas sem adiantar qualquer possibilidade de pagamento.

Na última terça-feira (1º), Eduardo Prado já havia apresentado um requerimento pedindo para que a prefeitura formalizasse as devidas indenizações, sem que as vítimas tivessem que ingressar na Justiça. A gestão Iris ainda não se posicionou sobre o pedido.

Durante a visita na Câmara de Goiânia, Alexandre Magalhães também adiantou que o parque adotará um novo protocolo de manutenção, “trazendo mais segurança e qualidade aos seus frequentadores”. “É inadimissível o que aconteceu. Estava errado”, admitiu o presidente.

Responsável técnico

Na sabatina, o primeiro vereador a questionar o presidente da Agetul foi Elias Vaz (PSB), que quis saber porque o prefeito exonerou em janeiro deste ano o responsável técnico do Mutirama, José Alfredo Rosendo Coelho, sob os protestos do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás (Crea-GO).

“O Crea esteve no Mutirama e notificou a prefeitura pela falta ali de um responsável técnico (RT). Essa falha foi considerada um absurdo. No Paço, todos sabem, quem nomeia e contrata é o prefeito. Gostaria de saber se o senhor pediu a ele a contratação de um responsável técnico, já que o cargo está vago há mais de seis meses”, questionou.

Magalhães respondeu que o Parque Mutirama tem carência não só de engenheiros, mas de outros profissionais. E que em janeiro conversou com o prefeito sobre a restauração total do parque.

O presidente também questionou a informação de que o parque estaria funcionando sem um engenheiro mecânico. Segundo ele, José Alfredo foi sim demitido no final da última gestão, mas teria continuado a trabalhar no parque de forma voluntária. Elias e outros vereadores questionaram a informação. “É algo bastante estranho, além de ser uma irresponsabilidade”, reiterou o pessebista.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Rachan

Todos, inclusive os terceiro atingidos pelo defeito tem direito a indenização. Teoria de bystander (Responsabilidade pelo fato do serviço – art. 17/CDC). Pensar diferente é impunidade.