Férias 2018: especialista dá dica de destino descolado e em conta

Não preparou nada mas quer viajar em dezembro ou janeiro? Jornal Opção te dá aquela força

Praça Independência, uma das mais famosas de Montevidéu | Foto: reprodução

As férias de fim de ano chegaram e muita gente acabou não preparando nada. Em cima da hora, preços de passagem, mesmo dentro do Brasil, estão nas alturas, em especial destinos no Nordeste e Rio de Janeiro.

À convite do Jornal Opção, a especialista em viagens personalizadas Veryne Miranda, da “Just Go Travel” escolheu uma viagem para ser feita ainda em 2017 (ou no começo do ano que vem) para um lugar “não óbvio” e que não seja tão caro (afinal, a crise não está fácil para grande parte da população).

Segundo ela, uma boa alternativa é o Uruguai. O País vizinho conta com boas opções de passeios, incluindo cassinos e praia, além da gastronomia e dos preços relativamente baixos — o peso uruguaio é desvalorizado em relação ao real. Mesmo assim, é importante lembrar que estamos na chamada alta temporada (em que os preços sobem).

O roteiro inclui três noites na capital, Montevidéu, e três noites em Puntal del Este, badalada cidade praiana.

“Uruguai é um destino que dá para ir o ano todo. No inverno é bem frio e o verão é bem parecido com o do Brasil. Mesmo assim, venta bastante, então quem for à praia deve levar uma blusinha. É gostoso, mas a água é mais fria, diferente do Nordeste”, explica.

Veryne Miranda, da Just Go Travel | Foto: Ivana Andrade

Antes da viagem

Para entrar no Uruguai não é necessário visto, passaporte ou tomar vacinas específicas. “Só é preciso levar a Carteira de Identidade com foto atualizada. É essencial também fazer um bom seguro viagem. Em qualquer destino internacional é muito importante escolher um seguro de qualidade e com cobertura confiável”, argumenta.

Alguns estabelecimentos aceitam o real e o dólar, mas o ideal é adquirir o peso uruguaio. Para isso, a dica é deixar para fazer a troca em casas de câmbio locais, pesquisando os valores. Do centro de Montevidéu para bairros nobres da capital uruguaia, como Pocitos, há uma boa variação de preços.

Apesar do IOF, usar o cartão de crédito no Uruguai durante as refeições é muito vantajoso. Equivalente ao nosso ICMS, o Uruguai possui o IVA, um imposto sobre valor agregado em produtos e serviços. O que muita gente não sabe é que, pagando no cartão de crédito, o turista fica isento do IVA, recebendo de volta o valor de volta, principalmente em restaurantes. O benefício, anunciado em 2012 pelo governo uruguaio, foi prorrogado até abril de 2018.

Com relação às passagens aéreas, é possível encontrar em sites como “Decolar”, saindo de Goiânia, por cerca de R$ 1,2 mil, dependendo do dia.

O que fazer

Restaurante Estrecho: impossível não ir | Foto: reprodução

Veryne Miranda destaca que Montevidéu é uma cidade histórica e os passeios são de cidade grande, como Santiago e Buenos Aires. Museus, praças, cafés e prédios históricos, mas também há feirinhas e curtir o por-do-sol na praia em Pocitos valem muito a pena.

Não deixe de visitar a Plaza Independencia; a Plaza de la Constitución, onde é realizada uma feira de antiguidades aos sábados; o Parque Rodó e a bela livraria Escaramuza, que conta com uma vasta programação cultural.

No quesito restaurante, a dica da especialista é o Estrecho. “Pequeno, bom e barato, come-se no balcão mesmo. É surpreendente”, completou.

Ela sugere ainda um “bate e volta” a Colônia do Sacramento, considerada a “Paraty do Uruguai”: um verdadeiro mergulho histórico.

Vamos à praia

Vista aérea de Punta, “A Mão”, Museu Paseo de Neruda, e Casapueblo | Fotos: reprodução/ Wikipédia/ Vince Alongi

O roteiro sugerido pela especialista inclui também três dias no balneário de Puntal del Este. Como estamos em pleno verão, a alta temporada na cidade costuma elevar os preços — em especial de hotéis. “Vale a pena dar uma pesquisada no AirBnB, que costuma ter apartamentos e casas com valores mais baixos”, sugere.

Na cidade, além das belas praias, é possível curtir cassinos; a famosa Casapueblo, uma cidadela que conta com museu, galeria de arte e até um hotel; bem como o Museu Paseo de Neruda (uma das casas onde viveu o poeta Pablo Neruda); e, claro, “A Mão” de Punta del Este.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.