Felisberto assegura que pode ir para um partido da base do governador

Petista diz que tudo depende de Marconi Perillo cumprir a promessa de levar esgoto à Região Leste. Compromisso foi feito ao vereador durante a campanha de 2014

Prestes a ter o mandato requerido pelo PT sob a acusação de infidelidade partidária, o vereador Felisberto Tavares (PT) já conversa com outras legendas. Ele, que garante que não terá o mandato confiscado pelo partido — “Se quiserem me expulsar, tudo bem, mas pedir meu mandato não vou aceitar. Não tem fundamento” –, diz que já teve proposta do PC do B, Pros, PSDB, PSD, Solidariedade e PDT.

Ainda ser ter se decidido, o vereador disse que só filia a um partido da base do governador se o tucano cumprir a promessa que fez durante a campanha — motivo do petista tê-lo apoiado no segundo turno, que é também o motivo de estar sofrendo com processo dentro do PT.

Marconi Perillo (PSDB), de acordo com Felisberto, prometeu levar esgoto e uma escola militar da Região Leste de Goiânia — seu colégio eleitoral. “Se ele não cumprir, eu não vou ficar em uma legenda da base de jeito nenhum”, disse, falando ainda que o governador fez um vídeo firmando o compromisso. “Agora ninguém me atende”, atestou.

Ao explicar que agora é um momento de reflexão, o petista admitiu ter simpatia pelo partido de Magda Moffato, o PR. “Magda é minha amiga, minha parceria”, pontuou, lembrando, entretanto, que não fica em um partido da base de Marconi se ele não cumprir o compromisso.

Planos para 2016

O parlamentar, que já concorreu duas vezes à Assembleia Legislativa de Goiás, sustenta que existe possibilidade de tentar a Prefeitura de Teresópolis em 2016. “Fui um dos mais bem votados lá, tenho o título de cidadão da cidade, e agora as pessoas estão querendo que eu concorra à prefeitura de lá”, explicou.

Veja vídeo o qual Felisberto se referiu:

Deixe um comentário