Favorito, Marconi abre mão de disputar diretório nacional pela unidade do PSDB

Governador de Goiás tinha ampla vantagem sobre o adversário, Tasso Jereissati, mas preferiu trabalhar pela união e evitar disputas

Tasso Jereissati e Marconi Perillo

O governador de Goiás, Marconi Perillo, decidiu abrir mão de disputar o comando nacional do PSDB para garantir a união do partido. Assim, Geraldo Alckmin (SP) deve ser conduzido à presidência em chapa única na convenção do dia 9 de dezembro.

Embora favorito para vencer — contava com quase 100 delegados de frente –, o goiano costurou acordo junto ao adversário, senador Tasso Jereissati (CE), com objetivo de evitar fissuras internas.

Desde a semana passada, ventilava-se a possibilidade do governador de São Paulo ser o nome do consenso, mas foi só nesta segunda-feira (27/11) que, após articulação de Marconi junto às diversas correntes, o acordo foi selado.

Nesta noite, o goiano se reúne com Geraldo Alckmin, Tasso Jereissati e Fernando Henrique Cardoso para definir os últimos detalhes da aliança. Com a decisão, o PSDB evita desgaste de uma disputa e se fortalece para 2018.

A atitude do tucano de Goiás surpreendeu até aliados de Jereissati, que anteviam a derrota do cearense, mas não aceitavam abrir mão da candidatura. Desprendido, Marconi costurou o acordo e deve, evidentemente, compor a executiva nacional.

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.