Fátima Mrué deve voltar à Câmara para explicar irregularidade em obra de hospital

Vereador quer saber por que prefeitura não paga contrapartida da construção da Maternidade Oeste desde 2017, arriscando perder quantia de R$ 187 mi

O relator da Comissão Especial de Inquérito (CEI) que apura as obras paradas na capital, o vereador Eduardo Prado (PV), apresentou na manhã desta segunda-feira (11/6) requerimento pedindo a convocação da secretária municipal de Saúde, Fátima Mrué, para explicar o que a prefeitura pretende fazer para evitar a perda de R$ 187 milhões, que podem retornar ao governo federal por conta de irregularidades na obra do Hospital Maternidade Oeste.

A prefeitura não paga a contrapartida da obra desde 2017, informa o vereador. “Serão 187 milhões jogados fora e a população precisa dessa maternidade”, destaca.

Segundo o parlamentar, a complicação para o poder público municipal teve início após a Caixa Econômica Federal — interveniente do contrato em questão — apontar que ainda não recebeu o depósito de contrapartida no valor de R$ 1.165.839,67.

A reunião da CEI foi suspensa antes de votar o requerimento, por falta de quórum, mas será retomada nesta terça-feira (12), antes da sessão no plenário. O relator também pediu a convocação dos empresários da Elmo Engenharia, responsáveis pela obra.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.