Fachin nega pedido de suspeição de Janot em processo contra Temer

Apesar de a defesa do presidente apontar parcialidade do procurador-geral da República, ministro entendeu que não houve indícios de conduta irregular

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou, nesta quarta-feira (30/8), o pedido de suspeição do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, em processo contra o presidente Michel Temer (PMDB). A solicitação foi feita pela defesa do peemedebista, que acusou Janot de parcialidade no caso.

Para Fachin, no entanto, não houve indícios de conduta irregular durante as investigações contra Temer, acusado de corrupção passiva após as delações da JBS. O dono do grupo, Joesley Batista, gravou conversa sua com Temer em que confessa ao presidente ter cometido crimes – informação não repassada pelo peemedebista aos órgãos competentes – e sugere pagamento de propina ao ex-deputado federal e ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.

A Câmara, entretanto, não autorizou a abertura da ação penal e, com isso, a denúncia deve ficar suspensa até o fim do ano que vem, quando o presidente deixará o mandato e pode voltará a ser investigado na primeira instância da Justiça ou novamente no Supremo, se assumir algum cargo com foro privilegiado.

Deixe um comentário