“Experiência é diferencial importante para condução da Câmara”, diz Dra. Cristina

Vereadora reeleita e candidata à presidência da Casa acredita que seria melhor a escolha de um nome experiente para comandar os trabalhos no legislativo municipal 

Dra. Cristina avalia que Jeovalter Correia está disposto a desatar nós | Foto: Alberto Maia / Câmara de Goiânia

Dra. Cristina avalia que experiência deve ser levada em conta na eleição para a mesa diretora da Câmara | Foto: Alberto Maia / Câmara de Goiânia

A Câmara Municipal de Goiânia escolhe em 2017 a nova composição da mesa diretora. A legislatura que tem início com a posse dos novos parlamentares no dia 1º de janeiro, já é marcada, porém, pela renovação. Dos 35 vereadores, apenas 13 tem mandato na Casa atualmente.

Para a vereadora reeleita Dra. Cristina Lopes (PSDB), apesar da expressiva renovação, seria melhor para a condução dos trabalhos, ou seja, para assumir a presidência da Câmara, um nome já de experiência na Casa.

“Temos uma ótima assessoria legislativa, funcionários efetivos extremamente competentes e de forma alguma acredito ser impossível que um vereador novo realize uma boa gestão, mas a experiência é um diferencial importante na condução da Câmara. O mais saudável seria eleger um nome que tenha esse diferencial”, analisa.

Além da própria Dra. Cristina, outros parlamentares da Casa cotados para assumir o comando da mesa diretora a partir de janeiro são o atual presidente Anselmo Pereira (PSDB), o ex-presidente Clecio Alves (PMDB) e Paulo Magalhães (PSD). Dentre os novatos, um dos mais cotados é Andrey Azeredo (PMDB), que teria o apoio do prefeito eleito Iris Rezende (PMDB).

LOA
Dra. Cristina, também relatora do projeto da Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2017, que tramita na Comissão Mista da Câmara Municipal, afirma que o parecer, ainda a ser apresentado, deve recomendar a aprovação de todas as emendas apresentadas.

Já apresentaram alterações os vereadores Geovani Antonio (PSDB), Carlos Soares (PT), Paulo Magalhães, além da própria Cristina. “Não vou vetar a proposta de ninguém. São poucas as emendas, até por um certo descaso dos próprios vereadores, então vou recomendar aprovação a todas. Quem tem que vetar alguma coisa é o prefeito.”

Por conta do feriado na próxima terça-feira (15/11), a reunião Comissão Mista foi cancelada e o relatório deve ser apresentado apenas na outra semana. A Lei Orçamentária tem que ser aprovada em segunda votação do plenário da Câmara Municipal até o dia 15 de dezembro.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.