Ex-gestores da Agecom e do Detran são alvo de operação da Polícia Civil. Confira os nomes

Quatro pessoas foram intimadas a serem interrogadas nesta manhã. Cerca de 500 processos foram apreendidos na sede do Detran-GO

Cerca de 500 processos apreendidos no Detran | Foto: Reprodução /Operação Sofisma

A Agência Brasil Central (antiga Agecom), Detran-GO  são alvo de mandados de busca e apreensão da Operação Sofisma, realizada pela Polícia Civil do Estado de Goiás na manhã desta quinta-feira, 23.

Na ABC, estão sendo investigadas as gestões do diretor Luiz Siqueira (2014/2015/2016/2017), e do diretor adjunto Danin Júnior (2014/2015/2016/2017). Este último trabalha atualmente na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), motivo pelo qual foi cumprido mandado pela PC-GO no local.

No Detran-GO foram apreendidos cerca de 500 processos, e as investigações tem como alvos as gestões de João Furtado (2014/2015) e Manoel Xavier (2016/2017).

Não houveram mandados de prisão, apenas busca e apreensões. No entanto, quatro pessoas foram intimadas para serem interrogadas neste momento.

Segundo informações preliminares da Polícia Civil, há indícios de que os contratos firmados a partir de 2014, entre a então Agecom, Detran-GO, e veículos de comunicação para divulgação de campanhas educativas seriam superfaturadas.

Confira a lista completa dos alvos da operação: 

Cristiano Livramento da Silva, jornalista do Blog 24 Horas
Marcia Regina de Paiva Bittencourt
João Bosco Bittencourt, jornalista e ex-presidente da ABC
João Furtado de Mendonça Neto, ex-presidente do Detran-GO
Luiz Carlos Alves, radialista
Eni Isabel de Aquino Alves, radialista e mulher de Luiz Carlos Alves
Cleuber Carlos Nascimento, radialista do Blog Cleuber Carlos
Luiz José Siqueira, ex-presidente da Agecom, hoje ABC
Manoel Xavier Ferreira Filho, ex-presidente do Detran-GO
Antonio Augusto Passos Danin Junior, jornalista e ex-funcionário da Agecom
Carlitos Ramos Verano, publicitário
Fernando Azevedo de Souza Verano
Maria do Socorro Correa Neves Verano
Danilo da Silva Dias
Investo Comunicação e Marketing (responsável: Renato Rodrigues da Cunha Filho)
Espaço Nobre Comunicação e Marketing LTDA (responsável: Cleusa Maria de Carvalho)
Logos Propaganda LTDA (responsável: Albertine de Paula Souza)
Detran-GO
Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego)
Agência Brasil Central (ABC – antiga Agecom)

Respostas

Procurados pela reportagem, os ex-gestores da antiga Agecom e do Detran não foram encontrados. O espaço para manifestação permanece aberto. Já a Agência Brasil Central (ABC) e o Detran-GO se pronunciaram sobre a operação por meio de nota. Confira o comunicado da ABC:

A Agência Brasil Central (ABC) informa que apoia completamente e vem colaborando com a Policia Civil, que, por meio da Delegacia Especializada em Repressão a Crimes Contra a Administração Pública (Dercap), deflagrou na manhã desta quinta-feira (23/1) a Operação Sofisma. A ação investiga contratos de mídia com suspeita de superfaturamento firmados entre a extinta Agecom e o Detran-GO com blogs e sites em gestões anteriores do Governo de Goiás. Detalhes sobre a Operação serão divulgados pela Dercap em entrevista coletiva às 11 horas, na sede da delegacia.

Goiânia, 23 de janeiro de 2020

Agência Brasil Central

Nota do Detran sobre a Operação Sofisma:

O Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO) esclarece que apoia completamente e vem colaborando com a Policia Civil, que, por meio da Delegacia Especializada em Repressão a Crimes Contra a Administração Pública (Dercap), deflagrou na manhã desta quinta-feira (23/1) a Operação Sofisma. A ação investiga antigos contratos de mídia com suspeita de superfaturamento firmados entre a extinta Agecom e o Detran-GO com blogs e sites em gestões anteriores do Governo de Goiás. Detalhes sobre a Operação serão divulgados pela Dercap em entrevista coletiva às 11 horas, na sede da delegacia.

Goiânia, 23 de janeiro de 2020
Comunicação Setorial do Detran-GO

Nota do Blog do Cleuber Carlos:

O primeiro sentimento é de indignação em relação a perseguição que Ronaldo Caiado realiza contra Marconi e seus aliados para tentar justifica a sua incompetência. Mas o sentimento de indignação e sangue nos olhos do primeiro momento e substituído pela sabedoria adquirida ao longo de 52 anos e o entendimento que não devo generalizar, pois, alguns agentes públicos estão apenas no dever de cumprir ordens e delas não tem com fugir. Muitas vezes até de certa forma sentido-se constrangidos, no ato de cumprimento de uma decisão judicial, que sabem ser, injusta e equivocada, mas são obrigados a cumprir o dever.
Em relação a operação Sofisma, desencadeada pela polícia civil que busca produzir provas para uma suspeita de irregularidades, é dever e direito  da autoridade  policial investigar, para se confirmar ou não as suspeitas. Neste ponto aos invés de me indignar, deveria ficar feliz, sabendo que nada devo e ao final obterei um atestado de idoneidade, se não da autoridade policial, certamente da justiça.
Não fui intimado a prestar esclarecimentos pela autoridade policial, certamente porque eles não tem nenhuma dúvida em relação a minha pessoa, mas estou a disposição e gostaria, afinal, me incluíram em uma investigação, sem nenhuma prova e se são competentes para investigar, como acredito que são, sabem muito bem que estão promovendo uma ação contra alguém que sabem ser  inocente. Ação está proposta como vingança por um promotor que tem problemas pessoais comigo, porque foi alvo de criticas por suas ações politiqueiras e posteriormente, denuncie que sua esposa e filho foram funcionários da Assembleia Legislativa com altos  salários,  só justificado por serem parentes do referido promotor. Ademais, o promotor falsificou números do blog para tentar fundamentar sua denuncia. Logo a denuncia é uma fraude.
Para concluir,  quem não deve não teme, mas não vou fazer o jogo dos que estão fazendo serviço sujo e confrontar a autoridade policial,  em respeito a instituição que é composta em sua maioria de pessoas sérias e idôneas, que indignadas,  me aconselham a ter calma e sabedoria.
Se o objetivo era constranger e intimidar para tentar calar, o tiro saiu pela culatra governador. A partir de hoje estarei com motivação redobrada, enquanto durar o seu fracassado governo provisório, para mostrar para a população que o estado policialesco que hora tenta implantar em Goiás, não passa de uma mascara para tentar esconder sua incompetência como gestor público.

Nota do Canal Gama:

“O radialista e jornalista Luiz Gama, editor do portal de notícias CANAL GAMA, refuta com toda veemência qualquer acusação de pertencer a esquema com objetivo de atacar quem quer que seja através de Fake News ou de outro meio.

Colaboramos 100% com as investigações desde sempre. Somos um portal de notícia com credibilidade e grande audiência. Em agosto de 2019 chegamos a 2.300.000 (dois milhões e trezentos mil) de views. Esta grande audiência do Canal gama está provada em Ata Notarial de cartório público em ação cível que trata do mesmo assunto.

Luiz Gama tem 38 anos de trabalho como radialista e como jornalista nos principais veículos de comunicação do estado de Goiás. Todas as notícias veiculadas no Canal Gama também foram veiculadas nas principais emissoras de TV e jornais de grande circulação em Goiás.

Recebemos mídias de governos nos três níveis. Já anunciamos o Governo federal, o Governo do Estado de Goiás e várias prefeituras. Nossa tabela de preços é a mesma para qualquer tipo de anúncio público.

O nosso estilo crítico e ácido pode até incomodar a muitos, mas é, segundo decisão recente do STF, nosso direito de manifestar, inclusive com deboche.

Temos sofrido sim em Goiás uma enorme perseguição por alguns setores da política goiana, que tem utilizado de todas as formas de intimidação, de assassinato de reputação e de censura. Somos sobreviventes!

Não seremos intimidados por ações injustas e absurdas em qualquer nível, nem por notas maldosas e ou outras ações covardes e igualmente canalhas com intuito de perseguição”.

O editor do blog Goiás 24Horas, Cristiano Silva, esteve na manhã desta quinta-feira, 23, na sede da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Contra a Administração Pública (Decarp) e falou sobre a Operação Sofisma, da qual é alvo.

“Qual é a irregularidade que existe quando um veículo de comunicação veicula campanhas de governo durante a sua existência? O que está acontecendo com o Goiás 24Horas é o seguinte: o promotor de Justiça, Fernando Krebs foi criticado duramente pelo site no passado, não gostou e moveu uma ação contra Cristiano Silva”, afirma o jornalista.

Segundo Cristiano, eles se encontraram em juízo e chegaram a fazer um acordo que culminou na retirada de tais matérias do blog. “Também publicamos por 30 dias um texto escrito pelo Krebs de próprio punho. Só que ele é um sujeito altamente vingativo, rancoroso”, relatou o jornalista, ao apontar que a Lei de Abuso de Autoridade possa esclarecer possíveis falhas no MP-GO.

O editor do blog questionou qual seria a irregularidade, uma vez que as campanhas foram veiculadas. “Se não tivessem sido veiculadas eu entenderia, mas o serviço foi prestado. Essa é uma jogada política, por parte de um promotor político. Vou provar que essa ação dele é um caso de abuso de autoridade”, adianta.

“Nossa defesa vai mostrar que tudo o que foi enviado pela agência de publicidade, saiu no blog”, argumenta ao ressaltar que o Goiás 24Horas tem cerca de dois milhões de acessos por mês. Ele também indagou o motivo pelo qual apenas alguns veículos foram alvo da investigação.

Procurado pela reportagem,  Fernando Krebs informou que  a ação é da Polícia Civil. “Quanto às acusações dele, estas serão objeto de nova ação judicial de indenização por danos morais e de ação penal. Já acionei o advogado da AGMP para propó-las”, informou ao Jornal Opção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.