Ex-assessor de ministra do PT é condenado por estupro de menor

Eduardo Gaievski atuava diretamente com a candidata ao governo do Paraná e então ministra Gleisi Hoffmann

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O ex-assessor da Casa Civil da Presidência da República Eduardo Gaievski foi condenado a 18 anos e um mês de prisão pelos crimes de estupro de vulnerável, estupro presumido e estupro qualificado. A decisão foi proferida pela juíza Monique Zellato, do Fórum de Realeza. No Palácio do Planalto, Gaievski atuava diretamente com a candidata ao governo do Paraná e então ministra Gleisi Hoffmann, que alega desconhecer os crimes cometidos pelo ex-assessor.

Gaievski acumula 17 processos por crimes sexuais contra menores de idade. O escândalo veio a público em agosto do ano passado por meio de uma denúncia da revista Veja, quando o político foi demitido do cargo de assessor.

Com a decisão judicial, o ex-assessor deixa o regime de detenção provisória e vai cumprir pena em um presídio do regime fechado. Conforme cálculos da defesa de algumas das vítimas, com o julgamento dos outros 16 processos criminais, a pena de Gaievski poderá chegar a 356 anos de prisão.

Antes de trabalhar como assessor, Gaievski foi prefeito do município de Realeza pelo PT. Sua prisão acaba por esbarrar na candidatura de Gleisi no Paraná, que permanece em terceiro lugar em pesquisas de intenção de voto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.