Líquido apresentou grande quantidade de IgA secretória, anticorpo que protege tecidos respiratórios

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Após o estudo feito no Hospital Presbiteriano Allen, em Nova York, apontar que a maior parte das gestantes não apresenta sintomas da Covid-19, um grupo de pesquisadores dos Estados Unidos indicou que o leite materno de mulheres infectadas pelo novo coronavírus tem forte resposta imunológica contra a doença.

O estudo foi conduzido pelo Departamento de Infectologia da Escola de Medicina Icahn do Monte Sinai, em Nova York, e do Departamento de Psicologia da Universidade da Califórnia, em Merced.

A metodologia foi baseada na comparação entre amostras de leite de dois grupos: 10 mulheres que doaram o líquido antes do início da pandemia e 15 mulheres que testaram positivo para a infecção provocada pelo novo vírus. No resultado da análise, o leite das mulheres infectadas apresentou grande quantidade de IgA secretória – um tipo de anticorpo que protege os tecidos respiratórios.

O trabalho ainda não foi revisado, mas sugere que o leite materno pode servir de base para o desenvolvimento de tratamentos contra a Covid-19. No Brasil, uma pesquisa similar será realizada por cientistas da Santa Casa de São Paulo, Hospital Albert Einstein e Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB/USP).

“É um estudo preliminar, mas os resultados indicam a presença de anticorpos eficientes justamente na proteção dos tecidos atacados pelo vírus para provocar a infecção”, disse a infectologista Ana Helena Gremoglio, do Hospital Brasília.