“Estamos corrigindo os rumos do Estado”, afirma Caiado em evento da maçonaria

Governador falou das dificuldades em que recebeu o Estado, dos desafios da pandemia e da regularização fiscal

Ao participar de encontro anual da Poderosa Congregação Estadual Maçônica, neste sábado, 19, no Setor Crimeia Oeste, em Goiânia, o governador Ronaldo Caiado (União Brasil) fez um balanço de sua gestão. O evento, que não ocorria desde 2020, por causa da pandemia de Covid-19, reuniu membros da maçonaria de aproximadamente 130 municípios goianos, secretários, assessores de gabinete, conselheiros, assessores institucionais regionais e a sociedade em geral.

Ao discursar, Caiado destacou as ações realizadas pelo governo desde 2019 e as mudanças que foram feitas no Estado. Entre os pontos abordados, ele classificou que antes de assumir a chefia do Executivo estadual, a “estrutura de governo vinha sendo muito mais uma capitania hereditária de quem a ocupava”. “Nosso objetivo é prestar contas do que temos feito para tratar do ser humano e suas vulnerabilidades. É preciso essa consciência ao se ocupar uma posição como a de governador do Estado”, acrescentou.

O chefe do Executivo estadual também salientou das dificuldades encontradas no início do governo. Além disso, citou os desafios de enfrentar a pandemia da Covid-19, quando precisou adotar medidas de distanciamento social e impulsionar a regionalização da Saúde, com abertura de novos leitos de Unidade de Terapia Intensivas (UTIs) no interior de Goiás.

Outra realização, segundo o governador, foi em relação à responsabilidade fiscal da máquina pública, o que permitiu que o Estado se tornasse o único a renegociar dívidas junto ao governo federal. A segurança pública também foi lembrada por ele, como sendo de referência nacional, assim também como a Educação, que recebeu mais de R$ 3 bilhões em investimentos. Já no aspecto social, o governador comentou sobre o programa Mães de Goiás.

“Ao chegar aos meus 72 anos de idade, 47 na Medicina, prezo pela ética, honestidade, trabalho. Tivemos um longo desafio, que exigiu de mim posições muito firmes e às vezes incompreendidas por muitos”, relatou Caiado. O grão-mestre Mauro Marcondes da Costa, que corresponde ao posto de maior autoridade da maçonaria no Estado, exaltou as realizações do governo e disponibilizou a estrutura da instituição. “A maçonaria preza pelo bem-estar coletivo, com programas onde o social é executado, onde atendemos pessoas de baixa renda. Gostaríamos de ser a ponta do vosso trabalho”, disse.

A congregação está presente em mais de 100 municípios, atendendo em todas as regiões de Goiás. Entre as instituições assistidas estão creches, asilos e unidades de saúde. São cerca de 2 mil lojas, com quase 61.500 obreiros ativos. O Grande Oriente do Brasil é, atualmente, a maior Obediência Maçônica da América Latina e é reconhecida como legítima pela Grande Loja Unida da Inglaterra, conforme o tratado de 1935.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.