Enem 2021: cerca de 600 detentos das unidades prisionais de Goiás se inscreveram

Segundo os dados da Administração Penitenciária, houve um aumento de 60% em relação ao ano passado, quando 382 presos se inscreveram

No último dia 17, as inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem PPL 2021) para pessoas privadas de liberdade ou sob medida socioeducativa, terminaram e, de acordo com o levantamento da Gerência de Educação da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), em Goiás, 611 presos fizeram a inscrição este ano, 60% a mais que em 2020.

“O estudo é uma forma do preso conquistar mais do que a remição de pena, é uma chance de buscar um caminho diferente daquele que o levou para criminalidade, inclusive é um fator importante na redução a reincidência criminal”, disse o diretor-geral de Administração Penitenciária, tenente-coronel Rasmussen.

Nesta edição, o exame nacional avaliará presos de 39 unidades prisionais do Estado. A Unidade Prisional Regional (UPR) de Anápolis se destaca com 135 presos inscritos, seguida pela UPR de Itumbiara e Casa de Prisão Provisória (CPP) de Aparecida de Goiânia, onde, respectivamente, 66 e 40 detentos também farão a prova do Enem.

No ano passado, apenas 382 detentos participaram do exame. Para a policial penal Juliana Porto, representante estadual do Enem PPL, esse aumento é devido as políticas de ressocialização, que a instituição vem promovendo com mais ênfase nos últimos meses. “A Gerência de Educação tem feito um trabalho de conscientização junto aos diretores das unidades prisionais mostrando a importância da educação para os reeducados”, explica.

Segundo um dos detentos da UPR de Porangatu, de 26 anos, inscrito no Enem PPL 2021, a prova representa uma oportunidade para entrar na faculdade. “É uma chance que não tive lá fora. Espero vitórias! Eu quero correr atrás do tempo perdido, entrar numa faculdade, me formar, e ser alguém na vida, porque se tem uma coisa que ninguém tira da gente é o estudo”, planeja.

“Graças ao apoio da minha família e as oportunidades recebidas dentro da penitenciária, posso almejar um novo futuro. O mundo muito julga e pouco estende as mãos para oferecer ajuda. Quando encontramos apoio e incentivo, como encontrei na administração dessa unidade, vemos uma janela se abrir para um novo caminho”, disse um custodiado da UPR de Itumbiara fez a prova do Enem no ano passado e conseguiu uma vaga para cursar engenharia elétrica em uma universidade particular do município.

O Inep oferece o material de preparação para o exame, além disso, em Goiás muitos dos presos inscritos já fazem parte dos programas de educação desenvolvidos pela DGAP, como o Educação de Jovens e Adultos (EJA).

O Enem PPL tem o mesmo nível de dificuldade do Enem regular. A única diferença está na aplicação das provas, que ocorre em data diferente e dentro de unidades prisionais e socioeducativas indicadas pelos órgãos de administração de cada estado.

Nesta edição, as provas do Enem PPL serão aplicadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) nos dias 11 e 12 de janeiro de 2022.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.