Empresa de fogos de artifício é condenada a pagar R$ 70 mil para homem que perdeu a mão durante explosão

Parte do dinheiro servirá para obtenção de prótese. Além do valor, a fabricante terá que pagar pensão vitalícia à vítima

foguete

Empresa é responsável por colocar no mercado produto defeituoso

A 3ª Vara Cível da comarca de Goiânia do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) decidiu nesta terça-feira (19/8) que uma empresa mineira fabricante de fogos de artifício terá que pagar prótese de goiano que perdeu a mão durante explosão de rojão.

A fabricante Artesanato de Fogos Piracolor também foi condenada a pagar para a vítima, Geison Cândido Martins, R$ 50 mil e R$ 20 mil por danos morais e estéticos, respectivamente, além de pensão vitalícia mensal no valor de 50% do salário mínimo.

A decisão foi relatada pelo desembargador Joseli Luiz Silva e segundo ele, ficou clara a responsabilidade da empresa por “colocar no mercado produto defeituoso, do qual manuseio normal resultou grave lesão ao operador”.

Consta no processo que o foguete explodiu assim que o pavio foi aceso pela vítima, impedindo que tivesse tempo para tomar distância segura. Geison Cândido apoiava a base da bomba em sua mão esquerda e utilizou a direita para acionar o explosivo com um isqueiro, momento que houve, imediatamente, o acidente.

Ainda de acordo com o magistrado, ficou constatado que não havia no manual de instruções do rojão a informação de que o acionamento deveria ser realizado de longe.

A empresa se defendeu, alegando que houve imprudência da vítima ao manusear o explosivo. Contudo, Joseli Luiz Silva observou que a falha do foguete pirotécnico ficou evidenciada com bomba ter explodido dentro do cilindro de base. “É fato público e notório que a carga explosiva deve ser projetada para fora”, explicou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.