Em meio a caos financeiro, credenciados ao Imas ameaçam paralisar serviço

Pelo menos duas categorias alegam falta de pagamento e condições precárias de trabalho. Gestão Iris fala em “atrasos pontuais”

Sebastião Peixoto (PMDB): situação “normal” no Imas | Foto: Prefeitura de Goiânia

O caos nos serviços públicos oferecidos pela Prefeitura de Goiânia parece não ter fim. Na última semana, psicólogos credenciados ao Instituto de Assistência à Saúde e Social dos Servidores Municipais de Goiânia (Imas) denunciaram atrasos de até dez meses no pagamento.

Desta vez, outra categoria relata um drama semelhante: odontólogos, por meio do Sindicato dos Odontologista no Estado de Goiás (Soego), anunciaram ao Jornal Opção que vão realizar uma manifestação na próxima terça-feira (14/11) na porta do Imas contra a precarização do serviço.

Segundo o presidente da entidade, José Augusto Milhomem, há casos de profissionais que não recebem desde julho e a paralisação no atendimento é iminente.

“Já cruzamos os braços no mês passado e nada mudou. Agora, teremos essa nova manifestação. Esperamos que o prefeito Iris Rezende ou Sebastião Peixoto [presidente do Imas] nos dê um posicionamento”, explicou.

À reportagem, o responsável pelo instituto minimizou as críticas e disse que os atrasos são “pontuais”. “O pagamento está normal, há alguns casos de atraso, mas a partir de dezembro a situação será normalizada”, garantiu.

Geanini Lucas Vieira, presidente da Associação dos Psicólogos de Goiás (Apsigo), é peremptória ao discordar de Peixoto: “Muitos profissionais estão se descredenciando do Imas e buscando outras rendas pela falta de pagamento. A realidade é preocupante.”

 

O protesto contra a gestão Iris, marcado para a terça (14) terá adesão de diversas categorias.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Bolsomito

Não sei qual o pior…o Mentiris ou o bode velho do peixotão.