Em debate, Vanderlan questiona Iris sobre “baixaria” na campanha

Suspensão de tempo de rádio e TV e mandado de busca e apreensão contra o candidato do PMDB foram temas de discussão entre candidatos

vanderlan-iris-debate-interativa

Iris e Vanderlan participam do primeiro debate deste segundo turno em Goiânia | Foto: Divulgação

Em debate na Rádio Interativa na manhã desta segunda-feira (17/10), o candidato a prefeito de Goiânia Vanderlan Cardoso (PSB) questionou seu adversário, Iris Rezende (PMDB) sobre a campanha que tem feito, principalmente com as pílulas em rádio e TV, que chegaram a ser suspensas na semana passada por conter ataques a Vanderlan, além da ausência da devida assinatura partidária em algumas peças.

“A campanha do senhor está uma baixaria, com calunias e difamações de todas as formas. Está saindo das paginas políticas para as páginas policiais. O senhor foi, inclusive, multado em mais 1,1 milhão, seu comitê recebeu visita da polícia que foi cumprir mandado de busca e apreensão. Este é o tipo de política que o senhor sabe fazer? É isso que o senhor quer para Goiânia”, questionou Vanderlan.

Iris, por sua vez, respondeu que a juíza que proferiu a sentença “cometeu um equívoco, tanto que a decisão foi suspensa”. O TRE acolheu liminar no último domingo (16/10) permitindo o retorno da veiculação das pílulas da coligação do peemedebista, porém, o material considerado ofensivo pela Justiça continua suspenso.

Em relação aos mandados de busca e apreensão cumpridos no diretório do PMDB, comitê de campanha e no escritório político de Iris Rezende na última sexta-feira (14/10), em busca de material gráfico apócrifo que estaria sendo distribuído como se fosse da campanha de Vanderlan, o peemedebista disse que “a coligação não pode se responsabilizar por ações pessoais de candidatos a vereador”, mas voltou a defender a pílula sem assinatura da coligação, como entendeu a justiça, que fala do apoio do governador Marconi Perillo (PSDB) a candidatura de Vanderlan.

“Aquele boletim que a coligação soltou, inclusive com CNPJ, foi justamente para colocar as coisas em ordem. O que a coligação fez foi levar a público a documentação de que o candidato se uniu ao governador. Em politica não se pode esconder nada. A vida do homem público está permanentemente exposta, principalmente suas ações políticas. Não houve nada de crime”, disse Iris.

Em resposta, Vanderlan afirma que não pretende esconder o apoio do governo estadual e ressalta os benefícios que a parceria pode trazer para Goiânia. “Candidato, eu recebei o apoio do governador Marconi Perillo. E até mesmo para que eu pudesse apresentar hoje as propostas que apresento, como por exemplo, os polos de desenvolvimento, os distritos industriais, a regularização fundiária, eu estaria mentindo se falasse desses projetos nossos se não houvesse a participação do governo do Estado.”

“Não vou fazer essa política rancorosa que vocês implantaram aqui em Goiânia, que tanto prejudicou a cidade. A gestão do prefeito Paulo Garcia inclusive passou a ser mais frutífera depois que rompeu com o senhor. O senhor fala que eu escondo o governador, mas o governador tem um Estado para administrar”, completou.

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.