Em crise, prefeitura de Goiânia deixa postes de luz acesos durante o dia

Jornal Opção encontrou pelo menos quatro pontos na capital em que há claro desperdício de energia — e de dinheiro

O prefeito de Goiânia, Iris Rezende (PMDB), denunciou uma situação “calamitosa” ao assumir de seu ex-afilhado político, Paulo Garcia (PT), a administração municipal. Desde que voltou ao Paço, o peemedebista tem dito que toma medidas de austeridade para conter a crise e o suposto déficit de mais de R$ 30 milhões mensais.

Porém, em um breve passeio pelos Setores Marista e Bueno na tarde desta terça-feira (24/1), o Jornal Opção identificou desperdício evidente de dinheiro. Às 15 horas de um dia relativamente ensolarado, quatro postes de luz acesos chamaram a atenção da reportagem.

A Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos (Seinfra), que seria responsável pela fiscalização, não respondeu até a publicação desta matéria, por isso não é possível esclarecer a situação. Ao que tudo indica, os fotossensores dos postes — que acionam ou desligam a luz — devem estar estragados.

Como a manutenção da iluminação na capital ainda é de responsabilidade da terceirizada Citéluz Serviços de Iluminação Urbana, o vereador Elias Vaz (PSB) questiona o porquê de Iris ainda não ter — como prevê um Decreto Legislativo aprovado no ano passado pela Câmara — rompido o contrato.

Segundo denúncia feita pelo parlamentar, o contrato é lesivo e a terceirização do serviço, desnecessária. Ele acusa a gestão passada de provocar a precarização do serviço para justificar a necessidade de contratar uma empresa para prestá-lo e questiona se a prática será mantida.

“A administração municipal promoveu um enorme processo de sucateamento da iluminação da capital, com o claro objetivo de terceirizá-la, permitindo falta de materiais básicos como lâmpadas, relés, reatores e veículos”, criticou. Dados apresentados por Elias Vaz apontam que os custos de mão de obra e demais despesas administrativas representam R$ 847 mil dos R$ 1,447 milhão mensais pagos a ela em 2016.

Considerando que hoje é dia 24 de janeiro, a gestão Iris Rezende já “desperdiçou” mais de 670 mil reais com a empresa (apenas com gastos fixos) que, pelas imagens acima, não está dando retorno desejado à sociedade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.