Em Caldas Novas, polícia finaliza investigação sobre estelionato e falsificação de documentos que prejudicou estudantes de mestrado

Prejuízo já supera R$ 200 mil no montante total. Inquérito será encaminhado ao poder judiciário e se condenado o suspeito poderá pegar uma pena superior a cinco anos de prisão

Certificados falsificados | Foto: Divulgação

A Polícia Civil por meio da Delegacia de Polícia de Caldas Novas, concluiu uma investigação de crime de estelionato contra servidores municipais e estaduais das áreas da Saúde e da Educação, que realizaram curso de Mestrado no exterior e necessitavam convalidar os cursos em território brasileiro.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Rogério Moreira em 2019, um brasileiro que morava em Caldas Novas, cursava medicina no Paraguai e conheceu as vítimas que também estudavam no país o curso de mestrado, e prometeu a convalidação no Brasil ao custo de R$ 15 mil. Caso o diploma fosse convalidado, o servidor conseguiria uma gratificação salarial. 

“As vítimas visando desburocratizar essa certificação pagavam para ele essa quantia. No ano de 2020 surgiu evidências de que esse certificado eram falsos e assim foi procurada a delegacia que imediatamente instaurou inquérito policial e no decorrer das investigações concluiu-se que de fato esses certificados diplomas de mestrado eram falsificados”, explica o delegado.

O prejuízo já supera os R$ 200 mil no montante total. “A Polícia Civil interrogou o suspeito que confessou a prática do crime e o recebimento desses valores indevidos, o que justificou o seu indiciamento durante as investigações pelo crime de estelionato e falsificação de documento público. Agora o inquérito será encaminhado ao poder judiciário e se condenado poderá pegar uma pena superior a cinco anos de prisão”, conclui o delegado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.